terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Delirem em 2009!!!

Queridos e fiéis leitores,


Após longas reuniões com calorosas discussões, decidimos manter este blog no ar em 2009. Nosso número de leitores cresce a cada ano: tivemos mais de 150.000 acessos em 2008!!! Um crescimento de mais de 2.000%, comparado à 2007.
Mas como tudo muda, este blog também vai mudar. Teremos várias surpresas, novos programas e personagens, novas homenagens, piadas, prosas, versos e críticas. Estaremos antenados em tudo: economia, política, eventos sociais, festas de arromba e vexames em geral.
Atualmente somos três escritores, mas esperamos ter mais companheiros em 2009. Não se acanhe, expresse-se!!!
No mais, desejamos-lhes que vocês assanhem o cabelo, retirem sua unha encravada, consigam falar ao celular, leiam nosso blog e encontrem a felicidade! Enfim, queremos que vocês delirem em 2009!!!

domingo, 21 de dezembro de 2008

Respostas

Grande guru e mais novo "papito"(Enio) de Conceichon off The Gold, com certeza poderei saciar algumas duvidas.
Pesquisei juntamente com Dona Mercedes, Seu Manuel VIrginio e Jaiminho da Sila, históricos ourenses que poderão responder suas "débeis" duvidas.

1- Em 1954 assim que Ouros foi fundado, Marjor Félix da Mota Paes passou por uma crise sexual bem intensa. Sua esposa pediu que se repousasse por um tempo em algum local bem distante... O estress estava prejudicando sua ereção.
Infelizmente na época a farmacologia não havia descoberto remédios como o viagra.
Major se refugiou numa terra distante. Por este motivo o local até hoje recebe o nome de Brochados.

2- O primeiro Zumbi encontrado no bairro que hoje recebe o nome de quilombo foi o tataravô da Rosana da Padaria do Varino, a rainha do misto quente.

3- Em 1995 Welisson Viana pequisou a existência de vampiros em Conceição dos Ouros. Seus estudos se iniciaram nas Três Cruzes, pois segundo Rubinho da Chica Eugênia o bairro foi o escolhido para aparições desta espécie de monstro.
Rubinho ainda vai mais longe e confirma que seus irmãos Daniel, Saul, Saulinho e Zé Eugenio sao vampiros.

4- Nem Mercedes, Seu Manuel, Jaiminho da Sila e nem eu sabemos o que e períneo.

5- A mulher louca da Chapada foi vista pela primeira vez pelo Páris, quando este ainda namorava Karina. Segundo vítimas, a Mulher louca parece muito com a Mauricéa do Zaqueu.
Ela sai da mata atlântica existente no local pelas madrugadas e assusta todos que passam no local.
Além do Páris e Karina há outra vítima. O Cobrinha garante que é até amigo da louca.

6- Na realidade a Fazendinha é propriedade do Roberto Louco, mas o prefeito na época deu um jeito de passar a perna no doido.

7- Leite "nos Rochas" só o espermatozóide dos tarados que transam nas rochas.

8- Depois da morte de Jorge Miano ficou complicado um diálogo entre o povoado da Coréia com as pessoas do centro. Entre uma notícia de morte ou perda de algum documento, Jorge Miano passava recados através da igreja para pessoas dos dois bairros.
Com sua morte a solução foi mesmo a telefone.
Dizem que a população no dia do velório de Jorge estava com uma camiseta escrita: AMAMOS O JORGE E ODIAMOS ALEXANDER GRAHAN BEL.

9- "para lá" segundo Mônica do Oswaldo é um termo usado para designar local que fica após o outro. Exemplo: Leonardo da Mariana teve uma filha para lá de Belo Horizonte.

Abraços e agradecimentos aos meus colaboradores: Mercedes
Seu Manoel Virginio
Jaiminho da Sila

Glauco Viana

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Tirando as dúvidas dentifrícias com o Dr Glauco - IV

Prezado Dr. Glauco,

Sei que o Sr. é uma celebridade muito ocupada, mas gostaria de ainda poder contar com os préstimos e imensa sabedoria que transbordam do seu gigantesco crânio. Crânio este que tão bem proteje uma das massas encefálicas mais maravilhosas do planeta Terra. Sendo assim, Doutor, pergunto-lhe:

  1. Existe alguma relação entre o aumento das vendas do Viagra e o bairro dos Brochados?
  2. Existe algum zumbi no Quilombo?
  3. Existem vampiros no bairro das Três Cruzes?
  4. O bairro do Campinho não deveria chamar-se Períneo?
  5. Existe uma mulher muito louca na Chapada?
  6. Se a Chácara é dos Peixes, a Fazenda é do Paraguai e o Sítio é do Zaqueu, por que a Fazendinha não é de ninguém?
  7. Por que a Capoeira é Grande e o Ribeirão é Pequeno?
  8. É possível tirar leite nos Rochas?
  9. Pagamos interurbano internacional quando telefonamos do Centro para Coréia?
  10. Se a Vila Industrial é pra-lá-da-ponte, por que pra-lá-da-Vargem é a Vila do Sapo?

Dr. Glauco, espero que minhas débeis dúvidas possam ser sanadas pela vossa magnífica sapiência.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Pensar em 2009

Não se assuste, não é mais uma mensagem de final de ano dramática e sensacionalista. É uma mensagem para amigos...No momento minha amizade é a única coisa que posso oferecer, afinal a crise é mundial (kkkkkkkk...)
Falando em amizade chamo meus amigos a pensar em 2009. Pensar com exatidão, persistência, amor e esperança. Pensar no que mais te interessa. Não estou falando em preencher a agenda de projetos como gastar menos, emagrecer, caminhar...Isto é banal comparado com seu real desejo. Digo pensar na sua vida.
Pensar se seus amigos realmente te agradam. Pensar se seu marido ou sua esposa realmente te faz feliz. Se o desgaste no trabalho está valendo a pena. Apenas parar um pouco e pensar em você.
Pensar se a religião que escolheu só fala de Deus ou se vive um Deus de respeito e caridade.
Pensar se sua saúde está bem o suficiente para poder suportar dores repentinas oriundas de tragédias inesperadas que nos acometem todos os dias.
Pensar literalmente, emocionalmente, fisicamente, psicologicamente em você. O futuro é nossa maior incerteza, mas também a maior certeza. Você e ninguém têm a capacidade de saber do futuro.
Pensar que amanha você não precisa se arrepender de nada, pois fez o que estava ao seu alcance, mas fez. A covardia é sua eterna inimiga. Lute todo tempo contra ela.
Pensar que não poderá mais se estressar com o muito que tem sabendo que muitos tem pouco. Não deixa a luxúria ou outros sete pecados capitais tomarem conta da sua vida.
Pensar que sentimento bom te levará a paz que necessita para sua felicidade.
Pensar que a ciência nos ajuda muito e também precisamos ajudá-la. Não há necessidade de gastar o pouco tempo de vida em centros “ditos espirituais” e dar as costas para os cientistas. São eles que realmente salvam nossas vidas.
Pensar que não há necessidade de “puchar o tapete” do amigo da repartição. Chame-o para tomar um chopp e se delicie com a companhia dele.
Pensar que não sou nenhum herói. Sou igual a qualquer pessoa. Nasci do mesmo jeito que toda humanidade nasceu, e morrerei da mesma maneira. Não tenho que provar, mentir, roubar, enganar, enrolar, sujar, subornar...Isto só me trairia perturbação
Pensar que coisas simples como tomar uma cachoeira, soltar pipa, visitar um amigo doente trará muito mais prazer que compras “nas Daslus” da vida. A simplicidade tem cheiro de amor.
Pensar que sou responsável pelo mundo como qualquer um. Independente de classe social, cor, grau de escolaridade; sou responsável por qualquer crise que acomete o mundo, seja ela financeira ou até mesmo climática. Quero que pensem que não temos nada a ver com Katrina nem com a enchente de Santa Catarina, mas o que fizemos para ajudar as vítimas?
Não temos nada a ver com a crise financeira, mas o que nos incomoda é o medo de perder nosso conforto, nosso carro zero, nossa casa com piscina. O dinheiro é literalmente, emocionalmente, fisicamente, psicologicamente uma merda.
Pensar que sou forte, pois a maior guerra eu já venci. Foram milhões de espermatozóide, mas eu cheguei primeiro.
Pensar que meus filhos não precisam ter orgulho de mim nem eu preciso ter orgulho deles. Se algo aconteceu é porque o mundo seria diferente se a realidade não se confirmasse.
Pensar que não necessito acreditar por fingimento. A sociedade não tem o direito de me redigir regras, pois todos somos iguais. Não quero usar máscaras para agradar um, dois, três ou milhões de pessoas da mesma espécie que eu.
Pensar que o amor já foi muito judiado, já foi muito desacreditado. Está na hora de seguir sua magnitude. Está na hora de colocá-lo à frente de qualquer decisão da vida.
Pensar que 2009 só depende de mim, como depende de você.
Pense em você!
Pense em 2009!

Glauco Viana

sábado, 13 de dezembro de 2008

1988

Já se vão quase 17 anos que não moro mais no Zoro. Mas ainda respiro como se estivesse lá, cada momento. Não sei como existem pessoas que não acreditam na nave espacial que desceu atrás da Serra Grande, em 1988. O Skinão estava bombando! O Clube du Zoro iria ser ameaçado nos próximos anos pela Golden Night (depois Over Night). Lembro-me da Neusa do Ico. A foto acima só confirma nossa ligação com seres extraterrenos. Eu sou de Shan. Você é de Shan. Nós somos de Shan. Tomávamos Avião (vodka com Martini), Menta com Pinga, Fogo Paulista (nem sei se ainda existe), Zulu com Tang. Existia o Elton da Dona Célia e do Palitó. Quem se lembra do Chaplin? Foi antes do Caninha! Porra, tô véio! Ainda bem, que eu sou de Shan! Minha alma rejuvenesceu quando vi aquela nave, oblonga, verde, luminosa, descer atrás da Serra Grande. Eu estava jogando bola atrás da Igreja, em 1988. 20 anos se passaram, mas minha mente insiste em fazer-me lembrar como se houvesse ocorrido ontem. Cerca de 4 anos depois desse encontro, eu pulei da ponte.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

sábado, 6 de dezembro de 2008

O QUE E SER RELIGIOSO?

Dando uma pesquisada na Internet fico feliz comigo mesmo. Fico feliz em não fazer parte de nenhuma religião. Fico feliz de não precisar de um sobre nome como evangélico, católico, espírita para ser uma pessoa boa.
Não condeno ninguém, e nem tenho este direito, mas é só sair na varanda da minha casa que fico mais feliz ainda.
Moro em frente de três igrejas e muitas vezes fico triste com a alegria de muitos “fieis”.
- Será que os católicos sabem que a igreja apostólica romana já matou milhares de pessoas?
- Será que os seguidos da Universal sabem que sua igreja é uma verdadeira empresa onde inclui redes de televisão, cervejaria, boates etc?
- Será que os espíritas não estão perdendo tempo em pensar da onde vem a alma mesmo sabendo se este negocio de alma existe mesmo?
Talvez eu prefiro viver numa ignorância proposital, acho que sofro menos.
- Alguém já voltou do céu ou do inferno para dizer se realmente existe?
Não é difícil seguir meu raciocínio.
Imagina que você vai dedicar sua vida toda para comprar uma casa. Guarda dinheiro, deixa de fazer viagens, fica em casa nos finais de semana...Tudo para esperar o dia em que comprará a tão sonhada casa. Acontece que passam mais de quarenta anos e no final da sua vida você percebe que esta casa não pode ser mais sua, como você ficaria? – Não ficaria totalmente desestimulado? Triste?
- É isto que acontece com as pessoas que dizem religiosas.
As igrejas inventaram um estilo de vida pós-morte que ninguém até hoje comprovou, e usa esta “não provada” filosofia para transformar fé em dinheiro. Esperança em vazio. Amor em ódio.
Não é exagero meu não. O que as igrejas estão fazendo hoje?
São poucos os evangélicos que falam bem de um espírita.
São poucos os seguidos do catolicismo se relacionando bem com evangélicos.
- Isto é religião? Então podem me internar, pois não entendo isto mesmo.
E o dizimo? – Tem absurdo maior?
Vou fazer outra comparação ridícula: um dia qualquer chega um homem qualquer na porta da minha casa e me pede dez por cento do meu salário todo mês. Eu concordo e todo mês entrego este dinheiro para o desconhecido. Não é estranho e inimaginável? – Mas é isto que todos fazem. Você que doa R$100,00, R$200,00, R$1000,00 para qualquer igreja sabe para onde vai seu dinheiro?
Porque não usar este dinheiro para suprir necessidades de um vizinho doente, de um empregado desabrigado, de um amigo falido...Onde está esta religião dentro de você que faz você comprar a melhor roupa para ouvir a palavra de Deus, mas no caminho `a igreja você não consegue perceber os problemas que realmente mereciam sua atenção?

- Realmente prefiro acabar de escrever este email, tomar banho, ir visitar um amigo doente, atender três crianças carentes depois do almoço (Sorriso Solidário), encontrar uns amigos, tomar umas brejas, tocar punheta (ou não) e dormir.

Esta é minha religião...E você? É religioso também?
Glauco Viana

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Aquele tempo...nosso tempo.

Eu sou do tempo em que brincar de pique-esconde era a sensação das férias, do tempo que o significado de beijo na boca chegava, no maximo, perto de um selinho quando acontecia salada-mista (e eu nunca era escolhido...), do tempo que em que sensação era jogar os chinelos nas arvores para pegar fruta - jambo, manga ou pitanga e depois, com os mesmos chinelos fazer a marcação das traves do gol na rua para jogar bola. Rua essa que era a unica atração principal, era o palco era o que nos prendia...ao invés de salas fechadas e computadores. Do tempo em que as festinhas de amigos eram as baladas perfeitas; sou do tempo de brincar brincar de policia-e-ladrão, puxar carrinho com barbante, quando muito brincar com Play Mobil de um amigo mais chique... Sou do tempo de andar descalço, ter pereba, tomar banho de chuva, ter muita responsabilidade para nao perder a contagem das estrelas do céu; do tempo que que o amor se traduzia em olhares ou gestos de amizade e ajuda. Sou do tempo em que usar roupa brega era o maximo, dançava macarena e achava que estava abafando, do tempo em que ao invés de amigos me chamarem por MSN ou mensagens de celular, ouviam-se somente os gritos estridentes da turma lá de baixo na rua lá pra cima na sua janela... Parecia que a TV no meu tempo era menos ou nada violenta. O tempo talvez fosse menos violento...ou nós que éramos mais felizes... Alias, a TV era nosso passaporte para a fantasia...carverna do dragão, muppet babies, Riquinho, Jaspion, Familia dinossauro, Os Trapalhoes...onde estao os Trapalhoes?? Onde está o Didi, o Dedé, o Mussa, o Zaca...onde está nosso humor hoje em dia? Quero meu tempo de volta... porque sou do tempo em que ir para escola (grupo escolar) era sinonimo de estudar e nao de matar ou se drogar... sou do tempo que esperava um brecha para passar debaixo da roleta do onibus mesmo a passagem custando 50 centavos...Sou do tempo do Atari, de acreditar em papai noel até uns 12 anos e nao ter vergonha de falar, sou do tempo em que não saía da rua ao invés de nao sair do computador...Sou do tempo em que toda festa de aniversario era um tema diferente e tudo colorido e tudo enfeitado e tudo era maior... Os sorrisos eram maiores, os laços eram maiores, as amizades eram eternas...Sou do tempo de viajar com meu avô...de abraçar meu avô...onde está meu avô? Sinto saudades sua...(suspiro e lágrima...). Sou do tempo de fazer arte e meu pai me corrigir colocando de castigo...de viajar com a familia quase todo fim de ano...Sou do tempo de ajudar minha tia a fazer doce de goiaba, pular na piscina "de ponta", andar sem camisa, respirar um ar mais calmo, sou do tempo que era certo...O mundo está ao contrario...e eu reparei. O tempo vai...as lembranças ficam. Por que as lembranças nao se vão, como o tempo? Seria como nascer todo dia e assim esquecer que existiu um tempo bom...e assim esquecer que um dia fomos mais felizes. Corro atrás da minha felicidade de volta. Tenho 30 anos.

Brunno Mabub

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Program do Leo....entrevista com Vera do Neto

Léo: Depois de uma ausência demorada tenho o enorme prazer de voltar com o meu, o seu, o nosso Programa do Léo. Estive ausente devido a minha participação na eleição dos EUA. - Fiquei chique pessoal!
Devido ao sucesso do meu medicamento “Supererecto”(remédio que prolonga a ereção sexual masculina para 48 horas) fui contratado pela equipe de Barack Obama para divulgar a invenção para seus leitores; assim tive que me distanciar por quase dois anos. Graças a Deus voltei para Conceição e estou muito feliz em estar com vocês aqui.

APLAUSOS de capivaras e salameiros

E já que o assunto é política recebo aqui Vera do Neto.

Vem para cá Vera...
(Aplausos... aplausos... muito aplausos de capivaras)

Léo: Que bom Vera voltar ao programa com sua participação.
Vera: Meu filho, a honra é toda minha. Conceição estava com saudades.
Léo: Por mais óbvio que possa apresentar não tem como começar nossa conversa sem falar em sua derrota. Como está o coração desta guerreira?
Vera: Não vejo como derrota. Prefiro falar em tristeza, mas derrota não. Feliz não fiquei, mas derrotada jamais.
Léo: Me desculpe, mas o povo quer saber...Então como está esta tristeza?
Vera: Era um jogo, e perdi. O corinthias perdeu muitos jogos para ter sua glória reconquistada. Hugo Chaves perdeu muitas guerras. Lula perdeu quatro eleições. Santos Dumont caiu várias vezes até decolar. Xuxa perdeu vários namorados até chegar no Pelé. Porque só eu tenho que vencer na primeira ou na segunda?
Léo: Isto quer dizer que você tentará novamente?
Vera: Não disse isto, mas ninguém sabe o amanha. Quem diria que você daria certo na vida, por exemplo? Ou você esqueceu das vezes que puxei sua orelha quando queria namorar a Lara?
Léo: Nossa Vera que memória?
Vera: Para você ver. Desenvolver memória é algo que a eleição me ensinou. São tantas traições que a memória não dorme nunca.
Léo: Isto é um desabafo?
Vera: Não, é constatação...Mas vamos falar de coisa boa.
Léo: Verdade...Concordo...Porque não falamos do seu novo projeto que está abalando Conceição dos Ouros. Vamos falar do “Conceição Terra”. Que história é esta?
Vera: Caro amigo salameiro....hehehheehhe. Brincadeirinha! Não queria te ofender hehehehhehe....Desculpe, às vezes me empolgo!
Então Conceição Terra é uma idéia que está a caminho da realização. Não é a construção de uma outra cidade, é a construção de um sonho.
Leo: Como assim? Fiquei sabendo mesmo deste papo de uma nova cidade. Dizem por ai que a Senhora, revoltada, quer construir outra cidade no terreno do Zaqueu.
Vera: Tudo especulação. Nunca gostaria de dividir minha cidade do coração. Agora, que o projeto será realizado no terreno do Seu Zaqueu, realmente é verdade.
Os filhos do Zaqueu estavam desesperados para vender suas heranças. Ai juntou a fome com a vontade de comer. Comprei a Chácara Josefina para construir meu centro espiritual “Conceição Terra”. Isto mesmo. Será um centro zen, onde se manifesta a paz e o amor.
Léo: O que a Senhora considera “um centro zen?”
Vera: A idéia do “Conceição Terra” na verdade foi do Maurílio. Devido sua larga experiência com movimentos espirituais e seu amor pela natureza, nada mais justo que escolhê-lo como parceiro nesta empreitada.
Léo: O que terá de novidade neste centro?
Vera: Serão seis alqueires de diversidades. Terá uma réplica da pirâmide de São Tome das Letras, onde seguidos de Trigueirinho desenvolverão encontros espirituais. Logo ao lado da pirâmide construiremos uma cachoeira de nudismo. Como ficaria inviável construir uma praia de nudismo, optamos por aproveitar a linda cachoeira do terreno.
Léo : Você está falando sério? Uma cachoeira de nudismo em Ouros não chocaria muito?
Vera: Segundo as últimas da cidade, acho que o povo já acostumou com coisas mais absurdas, se é que me entende.
Léo: Realmente amo esta cidade, mas o tempo aqui não passa.
Vera: Então, porque não chocar? Você ainda não ouviu nada.
Léo; Como assim? Tem mais?
Vera: Sim. Haverá um espaço para os fabricantes de polvilho e de placa de gesso. Estamos pensando num espaço chamado “Pó da Alegria”.Havera palestras, shows, encontros e de empresário e o grande campeonato da “bunda branca”.
Léo: Campeonato da bunda branca? Bebeu Vera?
Vera: Não, estou sanzinha. Será realizado uma vez por mês um campeonato de ski-bunda no gesso e polvilho. Construiremos uma duna de polvilho e gesso,( igual as dunas do Ceará) e quem chegar primeiro ao rio vence. Já temos ate patrocínio para este entreterimento.
Léo: Realmente espetacular. Desculpe se dou risadas durante a entrevista, mas isto só acontece nu Zoro mesmo.
Vera: Realmente. Quando se tem um sonho temos que lutar, mesmo para perder, o importante é lutar.
Léo: Concordo plenamente...Mas e a história de trazer a Alexandra do Acácio para trabalhar em seu projeto é verdadeira?
Vera: Alexandra na verdade seria minha candidata a vice-prefeita. Ela tem uns projetos muito interessantes, que agora trarei para Ouros. Um deles é a “Casa da Theca”. Acho que ela inclusive já esteve aqui no programa falando deste assunto.
Léo: sim...O ano passado entrevistei-a quando estava de passagem por aqui.
Vera: Então. A Casa da Theca será uma instituição para mulheres encalhadas. Haverá uma equipe bem preparada para aconselhar e tentar arrumar casamento para estas pobres mulheres. Dona Lucinda e Manzuca ficará com a parte espiritual. Tereza do Pedro cuidará do visual das participantes juntamente com a mulher do Boca. E a organização geral ficará com Alexandra, Ciomara, Katiany e Ana Paula do Tatao...Afinal de contas estas mulheres devem ter algo a apresentar, pois ninguém nunca imaginou que elas casariam.
Léo: Que curioso...e louco heheheheh
Vera: Pode rir, esta também é minha intenção. As crianças, por exemplo, divertirão muito no “Conceição Terra”. Haverá parques aquáticos, circo, jogos e principalmente o “cantinho da verdade”.
Léo: Cantinho da verdade?
Vera: Cansei de mentira nesta cidade. O Cantinho da verdade será um espaço para dizer a verdade para as crianças ourenses. Lá elas saberão que papai Noel não existe, que coelhinho não bota ovo, que elas não vieram da cegonha, que seus pais não são santos, que beijar na boca não engravida e que é muito feio ser salameira...heheheheheh...desculpa empolguei novamente.
Léo: Acho melhor se controlar Vera.
Vera: Desculpa....Sem insultos.
Léo : Prefiro assim. Este programa é apartidário.
Voltando ao assunto. Você não tem medo deste projeto seu ser entendido de forma errada?
Já estão dizendo que vagabundos da cidade se alojarão no seu centro.
Vera: Olha se isto for verdade a praça do Zoro esvaziará ( risos ).... Acho que não, minha intenção é trazer laser, cultura e paz para esta cidade, apenas isto.
Léo: Isto é discurso de político?
Vera: Não...De cidadã.

Léo: Acho que estamos na nossa hora. Infelizmente temos que nos despedir. Agradeço a participação de todos e, é lógico, de nossa entrevistada.

Semana que vem nos encontraremos com mais uma entrevista.

Poucos Aplausos....todos ficaram de boca aberta.


Glauco Viana

sábado, 29 de novembro de 2008

EM BREVE

Leonardo volta depois de dois anos de ausência com o nosso, o teu PROGRAMA DO LÉO....

NÃO PERCAM

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

historias de paciente

Dr. esta noite senti um cheiro de binga no meu quarto. Sabe o que era?

- Tinha dois mendingos embaixo da ponte que o Senhor fez para mim...kkkkkkkkkkk

Não pense bobeira...é so um pirulito

Meus tios ja foram drag

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Como Vovó Já Dizia...

Minha avó sempre disse pra eu não sair do banho quente e pegar uma corrente de ar fria, pois eu poderia "istoporá". Nunca entendi bem aquilo, mas descobri que poderia ser uma disfunção ou inflamação do sétimo nervo craniano, o facial, ou até do quinto nervo, que é o chamado trigêmeo, causando certo incômodo ou até mesmo uma paralisia. Ainda hoje não acredito que uma corrente de ar fria cause qualquer tipo de doença, mas que eu evito sair do banho quente e abrir a geladeira para pegar uma cerveja, ah! eu evito. Levo a cerva para o box.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Nao poderia deixar de mencionar

Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Vinicius de Moraes - Soneto do amor total.

sábado, 15 de novembro de 2008

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Nós. E o que fazemos.


É realmente fantastico! Uma coisa muito louca...uma gosma cósmica, sonora...pscodélica...sei lá...

Trabalho numa fabrica que produz um medicamento contra o diabetes. Hoje é o dia mundial da luta contra o diabetes. Hoje senti uma felicidade que nunca pensei que fosse sentir. E por duas vezes...

Depois do trabalho fui ao shopping local para ajudar numa ação voluntaria da empresa nossa prestando atendimento ao cliente de forma geral. Eis que uma senhora de olhos verdes amendoados, vestinho uma blusa estampada da mesma cor e bastante falante sai do meio da multidão e me pergunta: "vc pode me ajudar? Quero entender os tipos de insulina que existem e aqueles que vc faz. Ja li tudo sobre, meumarido é diabético mas quero saber mais". Bom, prontamente me dispus a ajuda-la e fui falando e ela sempre me cortando " isso eu ja sei, isso eu ja sei, isso eu ja sei..." até que ela parou com o monólogo e me deu atenção. Interessou-se pela explicação. Depois de alguns minnutos de conversa sadia, retiradas as duvias e curiosidades é que o show começou... Ela abre a bolsa e pega duas canetas aplicadoras de insulina da nossa empresa e me mostra. Cada qual com seu tipo especifico de insulina...cada qual com seu produto perfeitamente protegido pela capa plastica da caneta...cada qual com seu volume pela metade... Eu simplesmente arrepiei. E fiquei olhando, perpléxico de alegria, comfortably numb como num show de som e imagem do Pink Floyd: Eu nunca havia visto um de nossos produtos assim. Nao quero dizer que nao conehço ou que nunca vi nosso produto final...nao é isso...é maior... Nunca vi um cliente nosso mostrar e falar que faz uso de um produto nosso...Eu sorri. Ela me perguntou porque eu estava sorrindo...E peguei a caneta...abri a tampa...e lá estava a insulina. Explique que para aquilo ali chegar ali nas maos delas muita coisa por trás acontece...a Produção, meu Time, meus colegas de trabalho, meu gerente e suas retumbantes falas de poder e incentivo...tudo passou na minha cabeça...um flash que culminou como uma explosão galatica de um sorriso. Ela queria saber mais...Seus olhos verdes me cobravam mais informações, agora técnicas...de processo e produção. Silencio. E logo perdeu o interese. Loucura. As canetas com os medicamentos em minhas maos...meu olhos fixos...diante de mim, um cliente que compra o que a gente faz. A gente faz. Nessa hora tudo sumiu... nada de 35...ou 41...ou qualquer outro numero ou sigla... Tudo deu lugar para a alegria dela em me relatar que o marido está muito satisfeito com o produto e que ele quer se desfazer a insulina a qual hj faz uso (um analogo concorrente). Eu nunca tinha sentido essa sensação...algo cósmico...talvez comparada a saudade de casa (du Zoro, di Belzonti) dos nossos pais, sei lá... Aquilo marcou. Os elogios dela se extenderam à empresa e às suas atividades pela luta contra a doença... Mas a imgem das canetas aplicadoras cheias de insulina pela metade nas maos de uma cliente...sim...aquilo sim me mostrou o quanto eu gosto do que eu faço! E quero continuar...porque nós merecemos sim PARABÉNS!!! A energia cosmica do limbo estrelar conspira a nosso favor...It's pure feeling.

Tipo que...

No meio do caminho havia uma pedra...tipo das Pedreira Viana
Antes só que mal acompanhado...tipo não ser salameiro nunca
Eu vi aquela montanha voando...tipo serra grande nas épocas que o Leonardo da Mariana corria da Neusa do Ico
Mais fácil destruir um átomo do que um preconceito...tipo seguir as bichas de madrugada depois do baile Conexão
Fumo maconha, mas não trago, quem traz é meu amigo...tipo cadê o Juninho da Aurea?
Passar a mulher para trás é fácil, difícil é passar adiante...tipo o sucesso do puteiro de Cachoeira
Se tivesse duas caras. Estaria usando esta?...tipo o salão da Ducarmo tá cheio meu!!
O sonho de um careta é a realidade de um maluco...tipo turma dos loucos na época que o Pó tinha braço grande e o Cobrinha vendia televisão à gasolina
A única revolução possível é dentro de nós...tipo feijoada da mãe do Todinho
No princípio era ação...tipo domingo bebendo no antigo bar do Dorgão
Invejo a burrice, pois é eterna...tipo eleição du Zoro
O perigo e o prazer andam de mãos dadas...tipo pichar o muro no grupão nos anos 8O
Sexo é igual a vestibular, não importa a posição, o que importa é estar dentro...tipo anos 8O também no grupão ou nas construções dos polvilheiros ricos

Glauco Viana

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Sobre a existência e suas vertentes

Por que posso me considerar um ser humano feliz, na assepsia da palavra? Simples...e acredito leitor que vc também pode perceber o quanto é feliz. Basta reparar o mundo que te cerca...e escolher.

Bom, tenho 29 anos e isso quer dizer que ainda posso ser pai aos 32...e de repente meu peito se tornar bem maior que o Big-Bang...numa explosão infinita e indefinível de felicidade! Viver é simples, mas existem alguns artificios que fazem a simplicidade se tornar beleza. Sempre quando chego em casa, desço do carro para abrir meu portão (meu portao nao é eletronico!) e que bom...isso me dá a oportunidade de sempre olhar o céu, esteja ele nublado, estrelado, laranja, cinza, completamente negro enfim...num simples abrir de portão todos os astros me olham e iluminam, de certa forma, minha vida. O portão já se torna um detalhe frente ao meu sorriso. Com o portão aberto posso entrar em casa com o Joca...esse é o nome do meu carro. Bom, o Joca é um Fiat Uno. Comprei-o em 60x. Ainda estou pagando. Antes esmolava algum trocado a minha mae...ia de onibus ou a pé. Era estudante. Olho pra trás e mais uma vez sorrio. Busco a vitoria. E me alegro em dizer que estou trabalhando fazendo o que gosto, com pessoas que gosto e que gostam de mim...e falo isso porque essas pessoas estao me ensinando a vencer, a ser maior e melhor.

Fico feliz quando dirijo o Joca escutando Pink Floyd, reparando as pessoas em suas individualidades na rua, sendo, por vezes, acometido por um belo por-do-Sol. Escrever também me faz muito bem. Aqui e assim posso mostrar um pouco do que sou e daquilo que acredito. Ver pessoas sorrindo sem nem sequer conhecê-las é muito bom...descansa o espirito...faz ficar leve os ombros. Legal é aceitar que nem tudo acontece como vc quer e que as vezes é preciso se afastar para conseguir enxergar soluções, e assim, avançar.

Sinto saudade do meu Pai. E isso é bom. Ele sempre me disse que quem iria me ensinar a viver é a Escola da Vida. Nunca entendi. Hoje entendo e tenho paciencia para aceitar que a velocidade dos nossos desejos é diretamente proporcional ao fato de que se nao quisermos e fazermos acontecer podemos viver uma vida inteira...por nada. A Escola da Vida coloca pessoas em nossas vidas...essas pessoas colocam propositos em nossos dias...esses dias colocam sangue em nossas veias. Aqueles que gostam de vc te pedem para ferver seu sangue. Sinto saudades dos meus pais. E dos meus irmao. Sou fã dos meus 4 irmaos. Ame sua familia. Isso te fará digno de construir uma - algum dia.

Acredite que exista algo maior que a gente, algo supremo ou entidade superior. E chame do que quiser: Deus, Energia, Amor, Alá, Maomé, Buda sei lá... isso me ajuda muito quando olho para os quatro pontos cardeais e nao vejo nada nem ninguem. E acredite, funciona.

Fazemos parte de uma elite privilegiada: temos alguma ou buscamos ter alguma cultura e opinião formada. Sabemos ler e escrever e muito possivelmente por causa disso ocupamos o cargo que temos hoje. Somos menos de 5% da população do país. E por favor...nao nos culpemos pelas mazelas do mundo...nos as sustentamos com o capitalismo selvagem e os avançoes da medicina. Esse é o preço que pagamos por nao sermos mais caçadores-predadores e contrariarmos Darwin.

Busque ser notado por algo notável que tenha feito. Isso me dá forças para perceber que nao estamos sozinhos e por mais que demore o reconhecimento, àqueles que merecem, sempre vem.

Tenho 29 anos, um carro semi-pago, sorrisos, um violão, amigos-verdadeiros, uma familia linda, bondade em meu coração, um emprego de valor, meus discos, um amor (susu), valorizo pessoas e a natureza e vou realizar todos meus sonhos. E quero me tornar melhor que isso. Sou um dos homens mais felizes que existem. Simples.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

DESPREPARO PARA MALDADES

Não vejo outra explicação para atrocidades morais, sociais, sexuais, policiais, políticas...O ser humano tem que entender que é uma espécie adversa à maldade. Isto não faz parte da nossa condição. Não temos estruturas para prejudicar nosso semelhante.
Muitos podem até insistir por um tempo, mas o fim é trágico quando se leva uma vida baseada na trapaça, vagabundagem e mentira. Temos vários exemplos desta feliz lógica.
Já conheceram algum político corrupto que teve a tão sonhada paz espiritual depois de enganar por anos uma cidade, um estado ou um país? – Acho que a confusão que virou a vida de Toninho Malvadez (Antonio Carlos Magalhães) após sua morte conclui isto.
Já repararam na desgraça que deve ser a vida de um traficante? - Ganha rios de dinheiros, mas não pode nem pescar sossegado no “corguinho” da favela com medo da polícia.
E vida de um assaltante de banco? – Se arrisca, planeja por meses um assalto, troca de nome...Enfim faz uma reviravolta estratégica para não poder nem depositar o dinheiro em qualquer banco; ou até mesmo gastar.
E os assassinos? – Tiram vidas, mas correm riscos de vida na cadeia.
E os falsos amigos? – Mentem, enganam, mas no final não tem amigos nem para carregar seu próprio caixão.
E os chefes exploradores? – O lucro das empresas sempre fica na justiça trabalhista.
E os empregados mal intencionados? Tem que serem bons na escolha do advogado, pois corre o risco de participar de uma única audiência.

Dizem que o bem só existe se o mal existir, talvez seja. “O que seria da paz sem a guerra?” Mas pensar em prazer nestas horas é mais racional. Abraçar dá mais prazer que insultar, isto é fato. Beijar dá mais prazer que cuspir, isto é fato. Dar um presente engrandece a alma mais facilmente que roubar o dinheiro da caixinha da igreja, isto é fato.
A lógica felizmente se confunde com a emoção quando se encontra na corda bamba entre amar e odiar.

Se emocione e pense que você não tem preparo nenhum para fazer mal a ninguém. Isto não é para nossa espécie!!!

Abraços

Glauco Viana

domingo, 2 de novembro de 2008

Filosofia Pura

Antes era o nada. Uma grande explosão fez-se presente. Minúsculas partículas, absurdamente condensadas, tornaram-se o que chamamos hoje de Universo, apesar de sabermos da existência de outros. Nem o Big-Bang pode explicar uma sensação parecida com a paternidade. Tenho 32, pensei já ter vivido muitas coisas loucas, mas nada, nada se compara à sensação de continuidade de seus genes. Como Deus e Darwin estavam certos! Mais certo ainda estava um dos grandes filósofos do Zoro, Irtu du Maínha, quando disse que isso é simplesmente: NESPRICATIVO!

sábado, 25 de outubro de 2008

BEM FEITO PARA O CAPITALISMO

Em 1929 o mundo assistiu a quebra da bolsa de Nova York. Setenta e nove anos depois a história se repete, agora numa quinta feira. Isto, é lógico, não tem importância. Nem mesmo cronologia, macumba, filosofia ou estatística será suficiente para salvar a quebradeira do capitalismo. Não apenas quebradeira financeira, mas sim social emocional e principalmente quebradeira de credibilidade.
Não funciona mais consumir, consumir, consumir se o mundo já conseguiu entender que a felicidade não está em títulos, moedas, carros cada vez mais luxuosos, roupa cada vez mais cara, salário cada vez mais injusto; sem contar com o aumento da fome, da violência, das brigas políticas, das guerras religiosas etc. A simplicidade da vida não encontra espaço neste capitalismo exacerbado. A felicidade não está no que consumimos e sim em quem somos... Isto é fato.
O mundo não quer saber se a bolsa de valores vai cair ou não, mais necessário e importante que isto seja. O mundo está cansado de blábláblá. Está cansado de ver a minoria receber a maior parte. Está cansado de assistir o crescimento desenfreado do capitalismo, onde este compra tudo e todos. Comprou religião, futebol, arte, saúde, amor... O mundo está cansado disto.
Talvez seja um reflexo. Uma onda de energia negativa. Um trabalho muito bem feito no terreiro do Pai Nhonhô. A quebradeira com certeza tem explicação, mas acredito que seja sim uma decadência tardia de um sistema que deixou de lado pessoas, e as trocaram por moedas, muitas moedas. O sistema pode durar muito ainda, mas o segundo sinal de decadência acaba de ser alarmado. O mundo já tem dois motivos para entender que o capitalismo precisa de reformulação ou, porque não, de extinção.

Glauco Viana

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

sei lá

sei lá o que é viver
loucura,
meio doidera, paulera, zueira
completamente retardada esta vida
um dia bem, ou melhor, outro com herpes
um dia sombrio, outro ensolarado, outro nem masturbo
sei lá esta doidera
mentira e verdade na mesma estação
amizade e falsidade na mesma situação
delírio e sobriedade na mesma balada
cagada de vida esta...
mas boa também na mesma proporção
sei lá
trabalho e dívida no mesmo contracheque
cheque sem fundo de paciente sorrindo
tristeza na fome e desperdício maldoso no luxo
sei lá este mundão
sei lá o zorão
sei lá a falta de meu pai
a solidão da minha mãe
a minha solidão prazerosa e disfarçada com pinga e mel
canabis com esterco e loló sem noção
sei lá
até para ficar doido tem complicação!
sei lá este consultório quebrado
dente quebrado
roupa rasgada no bailão
no motel
na calçada do meu coração
sei lá leonardo, bruno, beto, povu du zoro
sei lá eu

Glauco Viana ( totalmente sobrio)

sábado, 27 de setembro de 2008

Quantcha genti, quantcha ligria!!! Festa do Polvilho III


Não sei dizer ao certo, uma vez que não tenho competência para tanto, pois não sou Odontólogo, Dentista ou muito menos Doutor; não sei dizer se os biscoitos, pães-de-queijo e outras iguarias, são as responsáveis pela conhecida saburra na língua de nossos colegas. Será que devemos exigir alguma ferramenta, tipo escova ou limpador de língua na Festa do Polvilho? Será que o branco encontrado entre as papilas é fruto do amido excessivo da mandioca? Inúmeras são as questãs que incomodam meu sono. Hávera algum problema que a "Mãe Terra" não detectou na mais tradicional festa do Zoro? E se não chover nunca mais? E se os ribeirões ourenses virarem um recanto de plâncton provindo da saburra de nossas línguas? E se o Jaiminho da Mulata, durante uma pescaria, cair novamente nestas águas? Temos de nos preocupar com a natureza! Salvem os ribeirões! Do Quilombo, Vargem e Pra-lá-da-ponte!

sábado, 20 de setembro de 2008

Quantcha genti, quantcha ligria!!! Festa do Polvilho II



O Bar do Jaime é só tradição: pastel, sinuca, pão-com-pernil e o Gão. Nesta película podemos encontrar algumas questãs no mínimo intrigantes:

  1. Por que o Maguinho está tentando se proteger?
  2. Por que o Aldersandro está emocionado?
  3. Por que o Gão não está sorrindo?
  4. Por que eu não estou com a garrafa na mão?
  5. Por que a cerveja no Jaime é tão cara?

Assim como uma antiga banda de bailes que frequentava o Zoro: é um Enigma!

Quantcha genti, quantcha ligria!!! Festa do Polvilho I


Bar do Pelau. Um dos redutos futebolísticos de Conceição dos Ouros. Como a foto já se expressa por si só, a alegria de seus frequentadores é sempre notável, mesmo que o time do coração não esteja ganhando. Durante a Festa do Polvilho pude rever grandes figuras do cenário ourense. Com certeza o Bar do Pelau está dentre os grandes destaques do circuito beautiful people da Serra da Mantiqueira.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Curtindo a Rê-Bordosa


Não percam! Breve aqui no blog todo o material, críticas, viagens, delírios, fotas, firmes, recordações, pérolas, etc... Os Bastidores da Festa do Polvilho!!!

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

SERIA TRÁGICO SE NÃO FOSSE BELO

Engraçado como o ser humano se fantasia com o belo mesmo sabendo que a beleza esconde sérias realidades. Neste mês de olimpíadas podemos enxergar um pouco desta hipocrisia.
Não quero ser visto como fanático, socialista, cético e nem mesmo neurótico; mas calar não é meu estilo.
O NINHO DO PÁSSARO (local onde foi realizada a abertura dos jogos) custou meio bilhão de dólares. Exatamente um bilhão de reais.
A educação de um brasileiro de classe média custa para os pais cem mil reais até a faculdade. O luxo dos chineses daria para educar cem mil brasileiros. A comparação ( ridícula ou não ) traduz a diferença social injusta que assombra o mundo todo.
Este valor é apenas de um dos estádios. Estima-se que foram gasto quase 40 bilhões de reais nesta Olimpíada. Será que virei socialista, estou fumando demais ou tenho razão?
- Imaginam quantas casas populares dariam para construir.
- Quantos médicos e programas de saúde dariam para sustentar.
- Quanta fome daria para matar.
Odeio demagogia, mas podem me chamar de demagogo. Odeio sensacionalismo, mas se quiserem me chamem de sensacionalista, mas não dá. Realmente não dá!
Está havendo uma inversão de prioridades que conseqüentemente determina o caos atual que a humanidade assiste de mãos atadas.
O assunto é muito sério!
Milhares de crianças morrem vítimas de Aids na África. Milhares de adolescente se prostituem na Europa. Milhares de vítimas de terremotos morrem de frio e de fome na índia. Milhares de jovens se drogam no mundo todo... E uma Olimpíada custa 40 bilhões? – Como dizem a molecada de hoje: Pô veio, o mundo tá louco!
Realmente está louco. Louco de ganância, de poder, de hipocrisia, de exagero, de gastos desnecessários.
- Mas a abertura foi linda!
- Mas aquele nadador já ganhou 11 medalhas de ouro!
- Mas esporte é união, saúde, companheirismo!
Tudo isto é verdade e talvez produtivo, mas vamos ser um pouco demagogos, sensacionalista, exagerados, fanáticos, socialistas, neuróticos para que o belo não se torne trágico...Vamos ser mais realista e menos egoístas!!!

glauco viana

quinta-feira, 31 de julho de 2008

NÃO DÁ PARA CALAR

Sei que não sou nenhum simpatizante de futebol e religião, mas não dá para calar.

" Vai ser lançado um novo cd evengélico : O FUNK DO SENHOR, neste mês de agosto "

"Jogador é pego em gravações assumindo que seu time fez acordo em deixar o jogo empatar "

MÁFIA DESGRAÇADA ESTAS DUAS

terça-feira, 22 de julho de 2008

Carapuça

O ponto sempre foi o mesmo
Para um bate-papo legal
Aí veio a censura:
Não sente no degrau!

Da política a diversão
De tudo conversávamos
Ríamos e passávamos mal
Não sente no degrau!

Sempre me pergunto:
O por quê desta mudança?
Era tão sensacional!
Não sente no degrau!

Antes de irmos embora
Saideira no Pelau
Hot-dog no Paulinho
Não sente no degrau!

Já não é ponto de encontro
Veteranos se deram mal!
Já não é ponto de ônibus,
Não sente no degrau!

Madrugada lá na praça
Visão fenomenal
Apreciar o Major Félix,
Não sente no degrau!

Tô triste pra caramba
Minha visita é sazonal
Quero ver os meus amigos,
Não sente no degrau!

A conversa cotidiana
É coisa de intelectual
Como podem proibí-la?
Não sente no degrau!

Nos sentimos ofendidos
Vou até por no jornal!
Que censura descabida:
Não sente no degrau!

Já faz parte do folclore,
Uma coisa cultural,
Abaixo a campanha do:
Não sente no degrau!

Como mudam as coisas boas
No meu Zorão tradicional
Ficam as coisas chatas:
Não sente no degrau!

Tomara que essa onda
Tenha um bonito final:
Que acabe a censura
E sentemos no degrau!

UM VAZIO NECESSÁRIO

UM VAZIO NECESSÁRIO
Estou farto de imposições.
Cansado de negações sobre minha essência.
A religião tentou fazer isto comigo, e está fazendo com você.
Acho que construir um vazio necessário talvez seja uma boa saída. Não é nada sustentável e sadio acreditar ou não acreditar em Deus. Podemos muito bem viver num vazio interior. Às vezes é mais importante saber o que não quer a que no que realmente quer.
Cansei disto!
Cansei de encontrar explicações em religiões em que seus líderes se enriquecem se prostituem etc...Cansei deste papo de capeta, diabo, céu, terra, prossições, santos, descarregos, pai Nhonhô, Alá, Buda,...
Cansei cara!
Vou acreditar na minha intuição. Talvez não seja a palavra certa, mas não encontro nada que consiga ser mais forte que minha intuição no momento. Minha intuição é fruto de meu pensamento. E se realmente somos o que pensamos, penso que passei anos da minha vida desperdiçados em fantasmas, santos, profecias; mas minha vida é curta demais para acreditar no improvável.
Quero saber quem sou primeiro, e sei que as religiões me proibiram de querer procurar.
Cansei de ordens...Cansei de dízimos, confissões, hóstia, preces, promessas...
Quero saber quem sou primeiro... Mas quero isto sozinho... Talvez num vazio necessário chamado EU.
Glauco Viana

domingo, 20 de julho de 2008

A ERA DA VERDADE

A ERA DA VERDADE

Preparem-se. Talvez chegasse a prova mais sensata sobre a verdade da vida. Não apenas em bancas, televisão, ou palestras motivadoras... A verdade está muito mais dentro de nós que imaginávamos.
Chegou a Era da razão; não separada da emoção e sim, unidas como nunca.
A política, a religião, as instituições não conseguiram nos enganar por muito tempo.
Hoje o próprio homem está próximo do segredo.
A política não conseguiu empurrar a ganância “guela a baixo” a todos...Ainda existem pessoas honestas!
A religião não conseguiu mentir muito. Eles (os líderes religiosos) pregaram a verdade que acreditavam e tentaram camuflar nossa mente para nossos desejos e intuições, mas se esqueceram que a verdade não é patrimônio, e sim essência individual.
As instituições organizadas ( ou falsamente organizadas) usaram o poder para nos converter, mas também falharam...O ser humano já entendeu que o poder é o mais podre e inútil desejo.
Esta nova Era se conscientizou que o bem espiritual é infinito, e que o lado externo nunca se deve desvincular das extremidades, pois seu local não aceita o amor como princípio de vida.
A Era da verdade está “arregaçando as mangas”; não apenas queimando sutiãs em praças públicas, ou fumando maconha em shows de rock, nem muito menos mostrando o peito aberta para um tanque de guerra.
A Era da verdade chegou pronta pra viver amando a natureza e seu próximo, e não apenas símbolos, imagens ou ideologias.
A nova Era quer concretizações, quer evidências e verdades, e não um sistema preconceituoso que nostalgia nossa mente tentando nos convencer que a falta de liberdade é sinônimo de pecado.
O pecado não existe nesta Era.
Entendemos hoje que o pecado é prisão, e prisão não combina com liberdade (ou livre arbítrio).
A Era do amor chegou. Preparem-se.
O amor é o verdadeiro segredo. Apenas o amor. A simplicidade do amor é nosso verdadeiro Deus.
A nova Era acredita que Deus está mais para uma sopa de bons sentimentos a que um condenador de constrangimentos.
Acredita que Deus não está diretamente ligado a religião. A religião não foi concreta o suficiente para acompanhar a inteligência dos seus fieis.
Está sendo provado a cada segundo deste milênio que a fidelidade fanática também é inimiga da liberdade. A natureza da vida é muito mais simples que a obsessão pelo não provado. A vida é muito mais simples até que a bíblia. A Bíblia se subdividiu demais e só confundiu... A humanidade está careca de saber que confusão não é crescimento.
A nova Era talvez seja mal interpretada, mas ela traz novidades que sempre esteve dentro de nós, apenas não tínhamos coragem de explorá-las.

Vale a pena se preparar.

Preparem-se.

Glauco Viana

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Para molhar de vez a Lei seca!

"Álcool... A causa e solução de todos os problemas..."

Mas se mesmo assim vc for pego,
existem três frases curtas que salvarão sua vida :

'Não fui eu!',
'Oh, boa idéia oficial!' e
'Já estava assim quando cheguei.'

quinta-feira, 17 de julho de 2008

A última du Zoro

Sei que este espaço não deve ser desperdiçado com as baixarias políticas de Ouros, mas temos que concordar que o humor é algo que os ourenses prestigiam.

SEgundo um ilario amigo de Ouros: "A política du Zoro este ano é de fantasia. Vão concorrer Branca de Neve e um anão contra Alibabá e os quarenta ladrões."

hhehehheh

terça-feira, 15 de julho de 2008

Infinitamente falando...

Existem pequenos sapos que um dia não defecarão. Não nos pré-ocopamos com a vida dos pequeninos girinos prontos para nascer. O material cósmico é o mesmo. O infinito é um conceito tanto para o maior quanto para o menor. As lei são as mesmas. O desespero da eternidade é o mesmo. O frio na barriga é incontrolável, desconcertante, congelante... Você já tentou se imaginar como um ser que habita um planeta de sistema inserido em uma galáxia que faz parte de uma nebulosa que está representada por um ponto no universo que o homo sapiens conhece? Então tente imaginar que seu corpo é composto por células, que por sua vez, são compostas pelos mesmo átomos e têm a mesma configuração elíptica dos astros, e que os átomos possuem quarks, neutrinos, etc...
Quem somos nós? É nóis! Seja feliz e não se pré-ocupe! A balela social está bem estabelecida. O "divisor de águas" será sempre o auto-conhecimento e a terrível consciência que simplesmente somos frutos de nossas escolhas. Assim como uma borboleta na Indonésia pode causar um furacão na Flórida.

Não foi tão ruim assim...

A Lei Seca chegou para ficar. Mas isso não impede de aprendermos que dirigir com segurança é necessário. Sei que alguns amantes do álcool, incluindo a pessoa que aqui escreve, podem pensar que é uma medida meio radical. Meus amigos não se enganem, é para o bem de todos. De nada vai adiantar frases em adesivos ou pára-choques de caminhão do tipo: "Dirigido por mim, guiado por Deus"; ou ainda: "Jesus guia a minha vida... e também meu carro". Desista! Temos de ser criativos e curtir nossa birita em segurança: arrume uma mulher que não beba e dirija bem! Esta sim vai ser o diferencial de mercado! Se vier com os "air bags" em dia, o capô zerado, faróis constantemente acesos, pneus nos lugares e volumes certos, estofamento de couro macio, etc... só teremos de nos abastecer e manter o câmbio em pé, pois com certeza, ela vai passar marcha na hora certa!

sábado, 12 de julho de 2008

Errei!

Não foi difícil! Foi extremamente doloroso! Mudei. Aprendi. Quero que vire hábito. Não vou desistir! Que se foda! Eu não sou o dono da verdade, e tem gente que acha que é! Mas continuo tendo o desafio... de ser uma pessoa boa... cada dia melhor... sempre...

Horizonte

Torre
Torre Gêmeas
Torre Eiffel
Torrone
Torre de Pisa
Pise torto
Não me torre
Bit torrent, codecs
DLL´s , Trojan...Cavalo de Tróia
Torre vale 5
No xadrez cabem 5. Torram 50
Torre só em cruz. Aprendiz
Cai o Rei. Trafico. Corpos no chão
Cruz na mão
Torre de comando
Torre de Castelo
Castelo de cartas
Cartas de papel
Torre de Babel
Exílio. Rapunzel
Escuridão
O amargo do fel
Torrado sol
Torrada fome
Tarrine
Torresmo
Thor semi-deus
Torpe
Torpor
Torpedo
Tornado
Transtornado
Feiura gordura trans
Transsexual
Teimosia natureza transviada
Morta
Enterrada
Transformada em torre o que um dia fora pedra. Uma alma. Um medo. Uma torre tombada a esmo. No fim, volta a ser pedra...terra...pó...nada.

B-M

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Darlene

Colete alaranjado e bafo de cachaça
Vende seu jornal, de manhã, na raça
Na boca, alem do bafo, encontra-se graça
Senta-se à mesa, pinta, borda, assa...
Costume de casa se leva sim à praça...

Compre um...só falta esse pouquinho
One, two, three, four
Enche meu copo, mais um golinho
I want more...
Eu sei inglês, coisa que nao sabem vocês...

E sentada fica a espera de um sorriso
Com oculos escuros assim natural
Um copo vazio, um colete de guiso
Sao 11 da manha faltam apenas nove jornal

Os olhos pesados revelam que cedo madruga
Ou quem sabe se dormiu naquela noite
Na mesa, sentada, ela aluga
Bebe, sorri, feliz por aquele mote

Sente viva...humana...abraçada
Amigos nao sei se os têm muito
Mais alguns minutos...sem jornal...sem nada
Prefere o calor daqueles que preferem sua retirada...

A fel da vida mostrando sua cara
Nao seria diferente
O mundo é uma navalha
Que na carne a gente sente

Nao importa o fim...
Valeu o meio...
Mais um dia sem jasmim...
Mais um pão sem centeio...

Os corações pedem socorro
As pessoas pedem tregua
No sobe e desce do morro...
No sobe e desce da vida.

domingo, 22 de junho de 2008

Esse texto nao é meu, mas vem bem a calhar.

"Não importa onde você parou...
Em que momento da vida você cansou...
O que importa é que sempre é possível e necessário 'recomeçar'.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...
É renovar as esperanças na vida e, o mais importante...
Acreditar em você de novo.
Sofreu muito neste período?
Foi aprendizado...
Chorou muito?
Foi limpeza da alma...
Ficou com raiva das pessoas?
Foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por diversas vezes?
É porque fechaste a porta até para os anjos...
Acreditou em tudo que estava perdido?
Era o início de tua melhora...
Onde você quer chegar?
Ir alto?
Sonhe alto...
Queira o melhor do melhor...
Se pensamos pequeno...
Coisas pequenas teremos...
Mas se desejarmos fortemente o melhor e
Principalmente lutarmos pelo melhor...
O melhor vai se instalar em nossa vida.
Porque sou do tamanho daquilo que vejo,
E não do tamanho da minha altura."
Carlos Drummond de Andrade

E também citanto nosso grande mestre Joao Guimaraes Rosa: "A vida vai...mas ela vem."

Um abraço forte aos blogueiros do Povo du Zoro!!

sexta-feira, 13 de junho de 2008

A Boca Tá Na "Oreia"

Quão engraçada é a vida
Quanto mais por nós vivida
Mais nos conhecemos
Pois desde de quando nascemos
Um estranho mora em nossa mente
Às vezes fazendo diferente
O nosso planos insano
De ter um ser humano
Pra chamar de "Bem"
E nos levar além
Do poder da razão
Pois sem controle a emoção
Toma conta do pensamento
Só de saber que seu rebento
Em breve vai nascer
E com certeza vai trazer
Uma alegria danada
Como a vida é engraçada!

Querida Maria Paula... essa é só a primeira...

quarta-feira, 21 de maio de 2008

...É o que tenho aprendido com um gerente amigo meu...

Os japoneses sempre adoraram peixe fresco.
Porém, as águas perto do Japão não produzem muitos peixes há décadas.
Assim, para alimentar a sua população, os japoneses aumentaram o tamanho dos navios pesqueiros e começaram a pescar mais longe do que nunca.Quanto mais longe os pescadores iam, mais tempo levava para o peixe chegar. Se a viagem de volta levasse mais do que alguns dias, o peixe já não era mais fresco.
E os japoneses não gostaram do gosto destes peixes.
Para resolver este problema, as empresas de pesca instalaram congeladores, em seus barcos. Eles pescavam e congelavam os peixes em alto-mar. Os congeladores permitiram que os pesqueiros fossem mais longe e ficassem em alto mar por muito mais tempo.
Os japoneses conseguiram notar a diferença entre peixe fresco e peixe congelado. E claro, eles não gostaram do peixe congelado. Entretanto, o peixe congelado tornou os preços mais baixos.
Então as empresas de pesca instalaram tanques de peixe nos navios pesqueiros. Eles podiam pescar e enfiar esses peixes nos tanques, 'como sardinhas'.
Depois de certo tempo, pela falta de espaço, eles paravam de se debater e não se moviam mais. Eles chegavam vivos, porém cansados e abatidos.
Infelizmente os japoneses ainda podiam notar a diferença do gosto.
Por não se mexerem por dias, os peixes perdiam o gosto de frescor.
Os consumidores japoneses preferiam o gosto de peixe fresco e não, o gosto de peixe apático.
Como os japoneses resolveram este problema? Como eles, conseguiram trazer ao Japão peixes com gosto de puro frescor?
Se você estivesse dando consultoria para a empresa de pesca, o que você recomendaria? Antes da resposta, leia o que vem abaixo:
Quando as pessoas atingem seus objetivos, Quando encontram uma namorada maravilhosa, Quando começam com sucesso numa empresa nova, Quando pagam todas as suas dívidas ou o que quer que seja, elas podem perder as suas paixões...
Elas podem começar a pensar que não precisam mais trabalhar tanto, então relaxam. Elas passam pelo mesmo problema que os ganhadores da loteria, que gastam todo seu dinheiro. O mesmo problema de herdeiros que nunca crescem e de donas-de-casa entediadas, que ficam dependentes de remédios de tarja preta.
Para esses problemas, inclusive no caso dos peixes dos japoneses, a solução é bem simples. L. Ron Hubbard observou, no começo dos anos 50:
'O homem progride, estranhamente, somente perante a um ambiente desafiador'
Quanto mais inteligente, persistente e competitivo você é, mais você gosta de um bom problema. Se seus desafios estão de um tamanho correto e você consegue, passo a passo, conquistar esses desafios você fica muito feliz. Você pensa em seus desafios e se sente com mais energia. Você fica excitado e com vontade de tentar novas soluções. Você cresce, se diverte, fica vivo! Para conservar o gosto de peixe fresco, as empresas de pesca japonesas ainda colocam os peixes dentro de tanques, nos seus barcos.
Mas eles também adicionam um pequeno tubarão em cada tanque.
O tubarão come alguns peixes, mas a maioria dos peixes chegam 'muito vivos' e frescos ao desembarque.Tudo porque os peixes são desafiados, lá nos tanques. Portanto como norma de vida, ao invés de evitar desafios, pule dentro deles. Massacre-os. Curta o jogo. Se seus desafios são muito grandes e numerosos, não desista. Se reorganize! Busque mais determinação, mais conhecimento e mais ajuda. Se você alcançou seus objetivos, coloque objetivos maiores. Uma vez que suas necessidades pessoais ou familiares forem atingidas, vá de encontro aos objetivos do seu grupo, da sociedade e, até mesmo, da humanidade. Crie seu sucesso pessoal e não se acomode nele. Você tem recursos, habilidades e destrezas para fazer a diferença. Ponha um tubarão no seu tanque e veja quão longe você realmente pode chegar.

Feliz aniversario Léo!!
B-M

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Já que estamos falando de Batman...(para descontrair)

Três mulheres, uma noiva, uma casada e uma amante, conversavam sobre seus relacionamentos e decidiram agradar seus homens. Naquela noite todas as 3 testariam a sensualidade e o poder que exerciam sobre seus companheiros, usando corpete de couro,máscara nos olhos e botas de cano alto.

Após alguns dias,se encontraram e contaram sua experiência.

Disse a noiva:- Naquela noite qdo meu namorado chegou em casa usava o corpete de couro,botas 12cm de salto e máscara sobre os olhos.
Ele olhou intensamente e disse: 'Você é a mulher da minha vida,te amo'.Então fizemos amor a noite inteira.

A amante contou sua versão:- Ah,comigo tb foi parecido. Naquela noite encontrei meu amante no escritório. Estava usando corpete de couro,mega saltos, máscara sobre os olhos e... Mais nada! Só uma capa de chuva para cobrir meu corpo. Qdo abri a capa, ele não disse nada... Seus olhos me devoraram...Me agarrou e foi sexo a noite toda.

E aí a casada contou sua história:-Naquela noite eu mandei as crianças para casa da minha mãe. Arrumei-me como combinado:corpete de couro, super saltos, máscara sobre os olhos. Resolvi incrementar o visual. Inaugurei um perfume novo e um batom vermelho que nunca havia usado antes. Lembrei de um comentário que meu marido fez sobre a sensualidde da roupa íntima preta e coloquei a que acabara de comprar... Um fio dental com um lacinho de cetim em ponto estratégico. Quando meu marido chegou do trabalho, abriu a porta e me encontrou em pé no meio do quarto fazendo caras e bocas. Olhou-me de cima abaixo e disse: E aí, Batman, o que temos pro jantar?

Rs...essa é boa!

domingo, 4 de maio de 2008

E se os pais de Bruce Wayne nao tivessem morrido...

Estamos falando das peripécias do Homem-morcego e sua nova identidade e postura frente a alguns fatos da vida. O que realmente levou um homem milionário a se preocupar com a sociedade e as pessoas que nela habitam? Sentimento de vingança apenas? Descobrimento de um lado oculto para utilizar suas habilidades e dinheiro? O Batman existiria se seus pais não fossem assassinados?
Talvez sim. O autoconhecimento do Homem para questões secretas de seu “eu” o torna capacitado e motivado a sair daquela rotina inócua e miserável onde nada se faz a não ser esperar o tempo passar. Possivelmente o Batman se apaixonou por esse outro lado, por essa mudança e a faria independente da morte dos pais ou do aumento da violência naquela cidade. Bruce Wayne não se tornou o Batman por acaso: ele venceu seus medos. Ele se tornou melhor que si próprio. Encontrou parte de uma felicidade nunca vivida. Descobriu a excelência no fazer.
A descoberta desse novo “eu” acontece sempre em nossas vidas e em nossa sociedade atual. Às vezes se desencadeia por fatores externos que nos levam a agir rápido: a necessidade se faz maior que o conforto. Às vezes acontece paulatinamente e talvez pode não se desenvolver por completo. Culpa da acomod ação e do medo daquilo nunca feito. Ou, às vezes, nunca vem. Entender a necessidade imperativa da MUDANÇA, da quebra de “paradigmas-freio”, que nos impedem de evoluir como pessoas e espírito, é um primeiro passo para não acumularmos esses sentimentos de melhoria junto com nossos afazeres diários. Só assim impediremos que a melhoria não acabe diluída ou esquecida
.

Brunno Mabub

terça-feira, 29 de abril de 2008

A empresa FUTEBOL nem sempre dá lucros

Talvez um desabafo, ou uma verdade...Não sou amante deste esporte, que infelizmente não se apresenta como esporte mais, mas não dá para ficar quieto.

Primeira notícia

“Salário de Kaká chega a 4 milhões por ano”

Segunda notícia

“Torcedores enfrentam polícia por causa de ingresso”

Terceira notícia

“Ronaldo – o fenômeno – é pego com travestis em motel”

Tudo bem, e nós com isto? – Você não tem nada a ver com isto, mas foi você que perdeu um ente querido morto numa briga de torcedores? Ou, você perdeu um dia de trabalho por causa de farras de torcedores vândalos que travaram o trânsito da Avenida Paulista?
Talvez realmente nada tenha a ver com minha vida, mas eu vejo problema sim.
O futebol brasileiro ou até mundial virou um comércio descarado. Virou uma briga de elite fanática, não por esporte, e sim por grana.
Quem são estes torcedores que brigaram na rua hoje por ingresso para uma partida de futebol? – Porque este povo não estava trabalhando???
– Assim temos que concluir que todos torcedores são vagabundos, pois para mim o feriado vai começar na quinta feira e não hoje, terça feira.
Porque todo mundo pode levar prostituta ou travesti num motel e Ronaldinho Fenômeno não pode? – Tadinho gente, ele está precisando malhar!
A empresa, chamada futebol, dá espaço para greves de empregados também, o resultado disto está na anarquia que estes trocedores provocaram hoje.
A empresa, chamada futebol, tem também líderes, chefes ou diretores que são pegos em escândalos sexuais. Se Bill Clinton foi pego, porque Ronaldinho não poderia ser?
A empresa, chamada futebol, tem até defensores do “Deus é Fiel e me dá dinheiro”. Kaká é amigão da Renascer.
Tudo virou empresa. Os lances de Carrincha não fazem mais a torcida delirar... Virão como a esposa de Becker é gostosa?
A alegria cinematográfica de Pelé não se vê há tempos...Prefiro as coxas de Roberto Carlos.
Incrível ainda é ver os estádios cheios, mas se na terça feira ninguém trabalha, imaginam vocês no sabadão...

EMPRESAS NEM SEMPRE DÃO LUCROS!!!!

domingo, 6 de abril de 2008

INFORMATIVO

"Mogi Guaçu, 6 de Abril (NASA): Que maconha ruim!!!"

hehehehehheheheh

INFORMATIVO

"LONDRES, 4 ABR (ANSA) - A banda de rock britânica Pink Floyd confirmou nesta sexta-feira que irá se reunir novamente para realizar apresentações ao vivo com fins beneficentes.
O baterista do grupo, Nick Mason, declarou que o Pink Floyd ainda não decidiu qual causa humanitária irá ajudar.
A banda irá se reunir novamente após 20 anos de seu fim, causado por brigas internas.
"Estou certo de que voltaremos a tocar juntos", disse o músico. A última aparição em público do Pink Floyd ocorreu no Live 8, em Londres, em julho de 2005, após a reconciliação entre o guitarrista Dave Gilmour e baixista Roger Waters.
Ambos os músicos se distanciaram na década de 1980, após uma briga pelos direitos sobre o nome da banda.
"Agora já não estamos mais brigando como antes", disse Mason.
Em sua carreira, o Pink Floyd vendeu ao todo mais de 200 milhões de discos. (ANSA) "


Site:
http://www.ansa.it/ansalatinabr/notizie/fdg/200804041209309578/200804041209309578.html

P.S.: E dessa vez, quem nao foi ao último com noiz, vai. Entende-se irmaos, crianças, grávidas e grávidos...e os primo!!!! E tb o Abdias, mesmo nao sabendo se ele trabalha de dia ou de noite...

Tendo isso posto, vou almoçar.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Venero o misterioso desejo de amar
Adoro apanhar dos sentimentos
Masoquista legítimo do puro desejo de amar
Querer o inatingível
Deliciar-me do impossível
Sonhar!
Sonhar!
Deitar e acordar
Sonhar!

quarta-feira, 26 de março de 2008

Tem que ter feeling...

Decidiu que nao ia trabalhar hoje. Alias havia decidido isso na noite anterior e por isso acordou mais tarde. Abriu os olhos e inspecionou a porta entreaberta do seu quarto. Afundou sua cabeça no travesseiro. Pôde sentir distante o cheiro do seu perfume que há tempos nao se misturava com nenhum outro. Filosofou. Pensou nos ácaros que estava inalando. Volveu a cabeça e se fechou. Algum som ruidoso passava pela fresta da porta. Havia vida lá fora. Havia angustia aqui dentro. Fazia frio e o tempo se misturava à sua solidão. Determinada se levantou e pensou que nada daquilo acontecia, olhou para algumas peças de roupas sujas e ainda de pijama recolheu todas numa volúpia nunca vista, correu para area de serviço abriu a lavadora socando os tecidos, agora multicores, para dentro do bojo. A primeira lágrima começa a lavar seu corpo antes da lavadoura de roupas, que continuou desligada. Aquilo nao estava acontecendo, cuspiu. Um banho, sim, um banho seria a solução. Seguindo para o banheiro é tomada de susto pelo alarme estridente do telefone. Sabia que era do trabalho. Arrancou o fio da linha telefonica e pensativa balbuciou que com isso já havia feito algo pelo trabalho no dia de hoje. A segunda lágrima explode.
Entra no banheiro, que cheirava azuleijo umido e flores mortas, olha-se no espelho da pia. Seus olhos estavam vermelhos e ela mal se conhecia. Aos poucos se desnuda. Era magra, mas nao ossuda, sua pele alva deixava à mostra algumas veias que insistiam em colorir algumas partes de seu corpo. Tinha a pele lisa, como que por anos a fio deixasse escorrer os sentimentos e alegrias e sensações. Lembrou do perfume no travesseiro. Era o mesmo perfume por anos. Quis mudar. Seus seios ponteagudos e médios gritavam. Insastifeita pensou no silicone. E no perfume. E na porta entreaberta. A terceira lágrima faz seu desfile, contornando a maçã do rosto e desviando seu trajeto para longe da boca. Talvez seria para nao salgar o beijo. E o beijo foi dado no espelho.
Abre a torneira da agua. Sentada no chao balança seus braços dentro da banheira esperando seu enchimento. E percebe-se voltando num túnel para longe dali. Absoluta. Permitindo as sensações tomarem seu corpo ela flutua. Os olhos cerrados tentam conter as lagrimas que saem desordenadamente, como que em competição com a agua da banheira. Seu corpo arrepiado de frio se torna fragil e seco. Os seios se fazem bem maior que seu coração. Está sozinha. Tarde demais. Purificada, entra na banheira - a agua parece mais limpa. Deita-se. E pela primeira vez sente o cheiro de outro perfume que nao o seu. As cores se fazem vivas. Algum calor estranho pulsa em seu peito. A doce Morte a abraça.

Brunno Mabub

sexta-feira, 21 de março de 2008

MAIS UMA VEZ LOUCO

Mais uma vez louco
Louco por pensar na bicicleta amarela da Marisa da Zenaide
Louco por não poder beber o um cálice do líquido milagroso da pereca da prexeca encantada
LOuco de saudades da Gerarda Parda, do Dilino, do Messias ou do louco que virou pastor
Louco por não pagar nenhuma cerveja para o Juninho da Aurea nos bares da Chácra
Louco por não jogar volei com Daniela e Isabela e esperar o Benegudsson chegar
Louco para comprar um pacote de bolacha no supermercado du gallo
Louco para escutar a porta do bar do Dorgão fechar
Louco de saudades
Cade meu povu...meu povu du zoro?
Cade o Pirce?
Cade o edinha?
Cade o campeonato de inverno?
Cade o Luizinho e o Roberto Rosa?
Louco de saudades dos discursos intermináveis do Neti no ginásio
Louco pelas aulas de histórias no pátio com a Mariana
LOuco pelo picolé do João...de groselha ou de abacate
Louco pelas histórias de namorados de São Jose da Mônica do Oswaldo
Loucos pelos loucos
Adrenalina, Agito, 100%...ou até lenga lenga (cade aquele povu esquesito?)
LOucura
Saudades
Só ficou a Fia do Tião sezário e a Zi...Eterna Zi,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
Loucura

sábado, 15 de março de 2008

A Lenda da Perereca da Prexeca Encantada - Parte V


Feinho acordou. O pobre menino, magérrimo na época, estava delirando:
-Vamô lá nu Bar do Pai!
- Cale a sua boca! Pequeno maldito! - esbravejou Dr. Glauco.
- Você caga no chão da sua casa e ainda acha que tenho de ter respeito?
- Santa ignorância! Você não sabe o seu destino. Sei que você está louco para abrir seu próprio negócio, mas ele terá vários donos!
- Sai prá lá mano! Além de velho tá ficando louco!
Dr. Glauco calou-se por um instante. O sombrio silêncio que cobrira a humilde cabana foi cortado por um peido estrondoso de Buga:
- Putz! Caguei!
- Chupa o cardo aí fedapota!
PT esfregou a pequenina prexeca da prereca encantada nos lábios de Buga. De repente, ele levantou e atacou Feinho. Parecia uma fera indomada. Seus instintos animais fizeram com que os desejos carnais aflorassem. Feinho estava encurralado. Não demorou e a missão foi consumada:
- Não!!! - gritou Dr. Glauco.
- Eu também quero! - gritou Testa.
Buga então dirigiu-se ao companheiro e fez sua vontade. Todos ficaram pasmos. O silêncio voltou. Dr. Glauco não pava de tremer, temendo ser o próximo. PT estava babando, deitado no cantinho da sala. Começou a urinar em si mesmo. A perereca escapou de suas mãos. Dr. Glauco, numa ponte, como costumava fazer Rodorfão, nos tempos do Clube Atlético Ourense, aconchegou o delicado animal em suas mãos. Fitou-o por um centésimo de segundo e não resistiu. Os olhos vermelhos, o caldinho azul escorrendo pelo canto da boca, fez com que ele visse o destino de todos na casa. Sua mente estava em transe. Virando-se para PT, ele disse com uma voz funesta:
- A partir de hoje, você somente irá se relacionar sexualmente com uma mulher a cada cinco anos!
- Isso é uma praga? Fedapóta!
- Não, isso é uma visão! Uma premonição.
- Pelo menos eu vou comer alguém! E você?
- Ainda não contei os detalhes, seu idiota!

continua...

quinta-feira, 13 de março de 2008

O que é normal?

Diante do conformismo da suscebilidade declarada tudo é entendido como normal. Não há mais limites sociais que levam à ética ou a moral. “Se o trombadinha roubou o som do meu carro”, isto é normal. “Se o avião atrasou doze horas”, não liga, “deita e goza”, isto é normal. “O deputado não foi cassado por roubo”, também é normal.
Uma onda de aceitação pairou diante a sociedade e todos esqueceram de exercer a dignidade e exigir limites.
Levar uma vida normal não tem mais o mesmo significativo comparado com os dos nossos ancestrais. Antigamente era apenas nascer, crescer, trabalhar, casar, ter família e morrer. Hoje nos deparamos com vários obstáculos tão condenados antigamente.
A normalidade de hoje não se suscede sem temperos amargos como desonestidade, ganância, falcatruas; temperos estes que infelizmente consegue a cada dia mais adéptos.
Tudo realmente parece ser normal. É a onda da normalidade que entra em nossa casa através da televisão, rádio, de uma visita do vizinho fofoqueiro ou até mesmo, porque não, de um assaltante.
Não apenas no campo social vemos uma aceitação e uma confusão entre o que normal e o que o é certo.
“Meu vizinho é traficante”. - Isto é normal, meu primo também é.
“Meu irmão está com hiv”. - Isto é normal, ninguém mais morre disto não.
“Nossa, meu colega está com câncer”. – Liga não, isto é normal. Ele fumava?

“Tudo é liberado, tudo pode e cada um sabe de si”. Este é o novo slogan escondido na testa de toda população. As pessoas por não exigir nada, não se previnem como antigamente. Por não Ter direitos nem deveres esquecem de fazer o bem e transforma o errado em normal.
tudo é normal!

Tomem cuidado!! Nem tudo é normal

domingo, 9 de março de 2008

O lance é ser -ÊRO

O ser humano é mesmo engraçado... adora dar nomes para as ondas do momento. A onda do momento é ser -êro! Sim! coloque esse sufixo em tudo que voce achar legal e seja mais um! Vamos lá, é facil! Voce pode ser chicletêro...vc pode ser guerrêro...praiêro...funckêro...soltêro... picaretêro... politiquêro... pagodêro e a mais nossa denominação que apareceu e tb está na onda é brahmêro!
O que se percebe é a completa falta de essencia pela qual as pessoas estao passando. A evolução como um todo segue a passos apressados, mas parece que o ser humano, ou grande maioria deles, insiste em nao querer sair do lugar...pensar...criar... Preste atenção e observe. Deveriamos dar mais valor para essa última frase. Alias valor mesmo é o que está, infelizmente, tb em falta no nosso armazém interno. É mais facil ser politiquêro do que ser honesto, é mais facil ser pagodêro do que ser humilde, por conseguinte é mais facil ser brahmêro do que ter caráter. Vivemos uma onda de superficialidades... Uma bola de lixo visual, auditivo, vazio impedindo que aprofundemos mais nas reclamações da alma, no olhar faminto de alguem que está do seu lado e pede, nao dinheiro ou alimento, mas amor. Vivemos uma onde de completa carencia humana. Uma situação bizarra já que somos carentes de nós mesmos muitas vezes. Percebe-se que os sentimentos se tornaram epidermais e assim parece que vao continuar. Onde aconteceu a quebra? Quando se deu o erro? Onde estao os valores? Mas a regra é clara: seja mais um. E é isso mesmo...falamos com a boca cheia: sou brahmêro! Nos orgulhamos para gritar que somos praiêros. Nao é à toa que madre Tereza de Calcutá, em carta para seu superior, relatou que nao sentia mais a presença de Deus. A tomada de consciencia se faz urgente. É triste imaginar que estamos caminhando para o vazio. Ou preferimos acreditar que vai mudar um dia...nao vamos desistir nunca, nao é mesmo!, somos brasilêros.

Brunno Mabub

sexta-feira, 7 de março de 2008

Para todas mulheres que amei, amo e que ainda vou amar

Amor Supremo

Amor sem hora, sem pensar, só sentir...
Amor agora, só gozar, sem mentir...
Amor eterno, fraterno, duradouro...
Amor desejado, conquistado, vale ouro...

Amor supremo como a força do nascimento
Amor puro como abraço de uma criança
Amor forte que surra o sentimento
Amor sorte que enche a esperança

Amor tranquilo sem complicação
Amor amizade sem ressentimento
Amor respeito do fundo do coração
Amor eleito do supremo consentimento

Amor verdadeiro cheio de saudade
Amor desespero na ausência
Amor desejo na plena cumplicidade
Amor beijo na terna consciência

Amor primeiro sem perder a confiança
Amor derradeiro sem querer solidão
Amor supremo é o que eu sinto por você
E esta poesia traduz toda minha emoção

Glauco Viana

Nudez

"Nudez pode ter um significado diferente e muito mais intenso. É assistir a uma mulher desabotoar suas fantasias, suas dores, sua história. É erótico ver uma mulher que sorri, que chora, que vacila, que fica linda sendo sincera, que fica uma delícia sendo divertida, que deixa qualquer um maluco sendo inteligente. Uma mulher que diz o que pensa, o que sente e o que pretende, sem meias-verdades, sem esconder seus pequenos defeitos - aliás, deveríamos nos orgulhar de nossas falhas, é o que nos torna humanas, e não bonecas de porcelana. Arrebatador é assistir ao desnudamento de uma mulher em quem sempre se poderá confiar, mesmo que vire ex, mesmo que saiba demais."

Martha Medeiros

quinta-feira, 6 de março de 2008

A Lenda da Perereca da Prexeca Encantada - Parte IV


Na cabana não havia nenhum saneamento básico. Dr. Glauco costumava urinar no velho caldeirão em que cozinhava, mas as necessidades sólidas (às vezes nem tanto!) ele fazia em um pequeno cômodo à direita do fogão à lenha. Após várias visitas ao minúsculo cubículo, ele coletava os detritos esparramados no chão, com a ajuda de uma pequenina pá. Mas era o local em que ela tinha suas mais mirabolantes divagações. Sendo assim, pôs-se a pensar como contaria a história para PT:
- Não posso dizer-lhe tudo, mas posso tentar fazer com que ele compreenda... - divagou o guru.
Retornando à cozinha, Dr. Glauco tentou clarificar as sombrias dúvidas de PT:
- Caro discípulo, diz uma antiga profecia, que uma perereca azul silvestre padecia de uma estrondosa dor na prexeca. Ela coaxava sem parar na fechada mata próximo ao Rio Sapucaí Mirim. Certo dia, uma protuberância começou a crescer em seu ventre. Desesperada, a perereca saltou até as margens do rio e começou a coaxar: " Pê!... Pê!... Pê!... Tê! Tê!Tê!". De repente, uma bola fosforescente cruzou o horizonte. Ela era verde, oblonga, do tamanho de uma azeitona. Parecia um tipo de gás. Penetrou a pele da perereca e fez com que a protuberância, próxima a sua delicada prexeca estourasse! O caldo escorreu...
- Dr. Glauco! Que porra de pinga é essa? Tá "loco véio"?
- Meu caro, dizem que o caldo é fruto da fusão de Deuses extraterrenos com a divina inocência da virgindade expressa pela prexequinha da perereca.
- E daí? "Fedapóta?"
- Tome mais um gole desta poção e saberás o que te espera!
-Dá aí então!
PT respirou fundo, abriu seus pobres brônquios (já intoxicados pelo alcatrão da fumaça das fezes das éguas que ele insistia em inalar, fruto do trabalho nas fazendas como free lancer) e tomou um grande gole.
Sem pestanejar após a careta, PT mirou a prexeca da perereca e começou a explorá-la com sua temida língua saburrenta. Olhando para o lado ele ralhou:
- Dr. Glauco, a prexeca tá cheinha de terra!
- Por favor, meu caro. Não lamba o chão da minha sala. Preste mais atenção onde você põe sua língua!
- Num tô nem aí pro cê! Errei! "Mais que o cardu tá bão, tá!''
- Como você está se sentindo?
- Fedendo. Num bosteiro...
- Então vamô lá no bar do pai!...
continua...

segunda-feira, 3 de março de 2008

Respostas "atrasada" para o Bruno

Caro desconhecido Bruno.
A demora em responder suas perguntas se deu por dois motivos: primeiro não te conheço e segundo por falta de criatividade mesmo heheheheh.

Vamos lá:
1- A primeira pergunta não poderá ser respondida pois a lenda não é minha e como o Léo vai ser pai, posso ser processado de prágio (vai saber se ele não está precisando de grana !)
2-Consultanto uma equipe de dentistas composta pelos ilustres Dr. Carlos do Zé Maria, Dr.Marquinho da mulher bonita, Dr. Júnior do braço grande, Dr. Ronaldo da Noely do Nóe da Suzana da Chica Eugênia, ainda não obtive provas que comprovam o efeito clareador do caldino da prexeca da perereca encantada. Apenas uma pessoa usou-a para clarear seus dentes, foi o Tio Rubinho, mas ele usa dentadura...Acho que não preciso falar mais nada.
3-Quanto ao efeito antisséptico, dizem as más linguas (como se no zoro existissem boas linguas) que Neusa do Ico fez uso diário com o caldinho. O resultado se deu atravez de um episódio ocorrido no início dos anos 90. Assim que teve todos os seus dentes degradados Neusa do Ico correu mais de 3 horas atrás do Leonardo do Bebé em plena praça pública. Esta história está até hoje cravada na memória de COnceição dos Ouros.
4-O efeito da mistura do caldinho da prexeca da perereca encantada com o benzoato de etila pode ser um dos fatores que leva o paciente a desenvolver Diarréia Cerebral.

Espero ter sido claro.
Um grande abraço.
Dr. Glauco Viana.

sábado, 1 de março de 2008

A Lenda da Perereca da Prexeca Encantada - Parte III


A cabana estava escura. Era iluminada apenas por uma lamparina de querosene e a brasa que ardia no pequeno fogão à lenha. Dr. Glauco, como era conhecido, morava nos confins do Zoro Véio, zona rural de Conceição dos Ouros. Sua cabana, ao pé da Serra Grande, chamada de Gruta do Velho Ermitão, foi uma herança que pertencia à família desde os primórdios da colonização. Dr. Glauco era uma pessoa respeitada na região, sua sabedoria transcendia as fronteiras da humilde cidade. Caravanas vindas de diversas partes do país faziam vigília à sua porta. Ele costumava sair pouco. Vivia debruçado em velhos pergaminhos e escrituras, mas nem sempre ele foi assim. Houve um tempo, quando de sua infância conturbada, que ele se dizia um ser perdido no meio da sociedade escravagista. Era totalmente anárquico! Mas a paixão pelo estudo e a vontade de decifrar os segredos mais íntimos da natureza fizeram com que ele se distanciasse da civilização.
O pequeno galo garnisé borbulhava no antigo caldeirão de ferro, quando vozes, parecendo atormentadas, fizeram seus tímpanos vibrar:
- Dr. Glauco! Precisamos de sua ajuda!
- Dr. Glauco, por favor, sabemos que a hora não é a mais propícia, mas não temos mais a quem recorrer!
- Quem está aí? Vocês devem ser muito corajosos! Estou pronto para rogar-lhes uma praga!
- Dr. Glauco, por favor, estamos com problemas, somente o senhor poderá nos ajudar!
- Abre aí o "fedapóta"!
Dr. Glauco então, reconhecendo a voz de Elton, abriu a porta e deixou os quatro caboclos entrarem.
Ênio (Testa), Páris(Buga) e Adriano(Feinho), ainda estavam meio que em transe. Os olhos vermelhos e arregalados, pareciam que saltariam de suas faces a qualquer momento. Elton, por incrível que pareça, era o único que conseguia falar claramente:
- Dr. Glauco, estamos desesperados!
- Conte-me tudo, meu pobre rapaz.
- Estávamos no Mato da Bexiga, caçando, quando nos deparamos com uma criatura que pode ser a respostas para os problemas da humanidade!
- Como assim?
- Uma perereca azul que solta um caldinho, também azul, pela prexeca!
- E daí? Pode ser um sistema de defesa! Talvez seja um tipo de veneno!
- Não pode ser! Depois que os caras experimentaram, eles parecem que estão em contato com algo maior! Não sei explicar direito, mas tive muito medo.
- Como vocês estão?
- Só! - respondeu-lhe Buga.
- Onde é o Capim Gordura? - perguntou-lhe Testa.
- Vamô lá no Bar do Pai! - exclamou Feinho.
- Tá vendo Dr.! Eles não sabem o que dizem!
- O caso é bem pior do que eu estava imaginando. Coloque-os sentados ali... e agora, conte-me em detalhes tudo o que aconteceu.
A garrafa de pinga com algumas ervas já estava pela metade. Dr. Glauco apanhou uma pequena cuia e colocou o precioso líquido até a borda:
- Elton, tome um gole. Você será uma Pessoa Transloucada após esta conversa. Seu Pinto ficará Torto e você será conhecido como PT!
- É nóis!
Elton, agora conhecido como PT, entornou a cuia e a poção desceu-lhe rasgando sua garganta:
-"Fedapóta"!
- Vocês capturaram o animal?
- Tá aqui no "borná"!
- Que seja revelada a criatura!
Pt colocou sua mão, vagarosamente no embornal e com muito cuidado, aconchegou o pequenino animal entre seus calejados e sofridos dedos, devido ao excesso de masturbação.
- Tá aí! Que porra é essa?
Dr. Glauco deu uma súbita e viscosa gorfada no rosto de PT:
- "Fedapóta"!
- Desculpe meu caro aprendiz, mas me parece que vocês encontraram o animal da profecia!
- Que?
- Vocês encontraram a Perereca da Prexeca Encantada! Não acredito que estou sendo presenteado com este momento! Não deixe que nem uma gotinha da gosma azul caia no chão!
- Foi essa porra que os caras beberam... e tão loucos até agora!
- Também pudera... na dose certa, podemos viajar por diferentes dimensões. Quiçá até ler pensamentos de outros seres humanos, animais, plantas e alienígenas!
Dr. Glauco segurou firme a garrafa com a pinga e as ervas, tomou um grande gole no gargalo e disse:
- Meu querido, vou dar um barro e contarei como tudo começou...


continua...