terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Delirem em 2009!!!

Queridos e fiéis leitores,


Após longas reuniões com calorosas discussões, decidimos manter este blog no ar em 2009. Nosso número de leitores cresce a cada ano: tivemos mais de 150.000 acessos em 2008!!! Um crescimento de mais de 2.000%, comparado à 2007.
Mas como tudo muda, este blog também vai mudar. Teremos várias surpresas, novos programas e personagens, novas homenagens, piadas, prosas, versos e críticas. Estaremos antenados em tudo: economia, política, eventos sociais, festas de arromba e vexames em geral.
Atualmente somos três escritores, mas esperamos ter mais companheiros em 2009. Não se acanhe, expresse-se!!!
No mais, desejamos-lhes que vocês assanhem o cabelo, retirem sua unha encravada, consigam falar ao celular, leiam nosso blog e encontrem a felicidade! Enfim, queremos que vocês delirem em 2009!!!

domingo, 21 de dezembro de 2008

Respostas

Grande guru e mais novo "papito"(Enio) de Conceichon off The Gold, com certeza poderei saciar algumas duvidas.
Pesquisei juntamente com Dona Mercedes, Seu Manuel VIrginio e Jaiminho da Sila, históricos ourenses que poderão responder suas "débeis" duvidas.

1- Em 1954 assim que Ouros foi fundado, Marjor Félix da Mota Paes passou por uma crise sexual bem intensa. Sua esposa pediu que se repousasse por um tempo em algum local bem distante... O estress estava prejudicando sua ereção.
Infelizmente na época a farmacologia não havia descoberto remédios como o viagra.
Major se refugiou numa terra distante. Por este motivo o local até hoje recebe o nome de Brochados.

2- O primeiro Zumbi encontrado no bairro que hoje recebe o nome de quilombo foi o tataravô da Rosana da Padaria do Varino, a rainha do misto quente.

3- Em 1995 Welisson Viana pequisou a existência de vampiros em Conceição dos Ouros. Seus estudos se iniciaram nas Três Cruzes, pois segundo Rubinho da Chica Eugênia o bairro foi o escolhido para aparições desta espécie de monstro.
Rubinho ainda vai mais longe e confirma que seus irmãos Daniel, Saul, Saulinho e Zé Eugenio sao vampiros.

4- Nem Mercedes, Seu Manuel, Jaiminho da Sila e nem eu sabemos o que e períneo.

5- A mulher louca da Chapada foi vista pela primeira vez pelo Páris, quando este ainda namorava Karina. Segundo vítimas, a Mulher louca parece muito com a Mauricéa do Zaqueu.
Ela sai da mata atlântica existente no local pelas madrugadas e assusta todos que passam no local.
Além do Páris e Karina há outra vítima. O Cobrinha garante que é até amigo da louca.

6- Na realidade a Fazendinha é propriedade do Roberto Louco, mas o prefeito na época deu um jeito de passar a perna no doido.

7- Leite "nos Rochas" só o espermatozóide dos tarados que transam nas rochas.

8- Depois da morte de Jorge Miano ficou complicado um diálogo entre o povoado da Coréia com as pessoas do centro. Entre uma notícia de morte ou perda de algum documento, Jorge Miano passava recados através da igreja para pessoas dos dois bairros.
Com sua morte a solução foi mesmo a telefone.
Dizem que a população no dia do velório de Jorge estava com uma camiseta escrita: AMAMOS O JORGE E ODIAMOS ALEXANDER GRAHAN BEL.

9- "para lá" segundo Mônica do Oswaldo é um termo usado para designar local que fica após o outro. Exemplo: Leonardo da Mariana teve uma filha para lá de Belo Horizonte.

Abraços e agradecimentos aos meus colaboradores: Mercedes
Seu Manoel Virginio
Jaiminho da Sila

Glauco Viana

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Tirando as dúvidas dentifrícias com o Dr Glauco - IV

Prezado Dr. Glauco,

Sei que o Sr. é uma celebridade muito ocupada, mas gostaria de ainda poder contar com os préstimos e imensa sabedoria que transbordam do seu gigantesco crânio. Crânio este que tão bem proteje uma das massas encefálicas mais maravilhosas do planeta Terra. Sendo assim, Doutor, pergunto-lhe:

  1. Existe alguma relação entre o aumento das vendas do Viagra e o bairro dos Brochados?
  2. Existe algum zumbi no Quilombo?
  3. Existem vampiros no bairro das Três Cruzes?
  4. O bairro do Campinho não deveria chamar-se Períneo?
  5. Existe uma mulher muito louca na Chapada?
  6. Se a Chácara é dos Peixes, a Fazenda é do Paraguai e o Sítio é do Zaqueu, por que a Fazendinha não é de ninguém?
  7. Por que a Capoeira é Grande e o Ribeirão é Pequeno?
  8. É possível tirar leite nos Rochas?
  9. Pagamos interurbano internacional quando telefonamos do Centro para Coréia?
  10. Se a Vila Industrial é pra-lá-da-ponte, por que pra-lá-da-Vargem é a Vila do Sapo?

Dr. Glauco, espero que minhas débeis dúvidas possam ser sanadas pela vossa magnífica sapiência.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Pensar em 2009

Não se assuste, não é mais uma mensagem de final de ano dramática e sensacionalista. É uma mensagem para amigos...No momento minha amizade é a única coisa que posso oferecer, afinal a crise é mundial (kkkkkkkk...)
Falando em amizade chamo meus amigos a pensar em 2009. Pensar com exatidão, persistência, amor e esperança. Pensar no que mais te interessa. Não estou falando em preencher a agenda de projetos como gastar menos, emagrecer, caminhar...Isto é banal comparado com seu real desejo. Digo pensar na sua vida.
Pensar se seus amigos realmente te agradam. Pensar se seu marido ou sua esposa realmente te faz feliz. Se o desgaste no trabalho está valendo a pena. Apenas parar um pouco e pensar em você.
Pensar se a religião que escolheu só fala de Deus ou se vive um Deus de respeito e caridade.
Pensar se sua saúde está bem o suficiente para poder suportar dores repentinas oriundas de tragédias inesperadas que nos acometem todos os dias.
Pensar literalmente, emocionalmente, fisicamente, psicologicamente em você. O futuro é nossa maior incerteza, mas também a maior certeza. Você e ninguém têm a capacidade de saber do futuro.
Pensar que amanha você não precisa se arrepender de nada, pois fez o que estava ao seu alcance, mas fez. A covardia é sua eterna inimiga. Lute todo tempo contra ela.
Pensar que não poderá mais se estressar com o muito que tem sabendo que muitos tem pouco. Não deixa a luxúria ou outros sete pecados capitais tomarem conta da sua vida.
Pensar que sentimento bom te levará a paz que necessita para sua felicidade.
Pensar que a ciência nos ajuda muito e também precisamos ajudá-la. Não há necessidade de gastar o pouco tempo de vida em centros “ditos espirituais” e dar as costas para os cientistas. São eles que realmente salvam nossas vidas.
Pensar que não há necessidade de “puchar o tapete” do amigo da repartição. Chame-o para tomar um chopp e se delicie com a companhia dele.
Pensar que não sou nenhum herói. Sou igual a qualquer pessoa. Nasci do mesmo jeito que toda humanidade nasceu, e morrerei da mesma maneira. Não tenho que provar, mentir, roubar, enganar, enrolar, sujar, subornar...Isto só me trairia perturbação
Pensar que coisas simples como tomar uma cachoeira, soltar pipa, visitar um amigo doente trará muito mais prazer que compras “nas Daslus” da vida. A simplicidade tem cheiro de amor.
Pensar que sou responsável pelo mundo como qualquer um. Independente de classe social, cor, grau de escolaridade; sou responsável por qualquer crise que acomete o mundo, seja ela financeira ou até mesmo climática. Quero que pensem que não temos nada a ver com Katrina nem com a enchente de Santa Catarina, mas o que fizemos para ajudar as vítimas?
Não temos nada a ver com a crise financeira, mas o que nos incomoda é o medo de perder nosso conforto, nosso carro zero, nossa casa com piscina. O dinheiro é literalmente, emocionalmente, fisicamente, psicologicamente uma merda.
Pensar que sou forte, pois a maior guerra eu já venci. Foram milhões de espermatozóide, mas eu cheguei primeiro.
Pensar que meus filhos não precisam ter orgulho de mim nem eu preciso ter orgulho deles. Se algo aconteceu é porque o mundo seria diferente se a realidade não se confirmasse.
Pensar que não necessito acreditar por fingimento. A sociedade não tem o direito de me redigir regras, pois todos somos iguais. Não quero usar máscaras para agradar um, dois, três ou milhões de pessoas da mesma espécie que eu.
Pensar que o amor já foi muito judiado, já foi muito desacreditado. Está na hora de seguir sua magnitude. Está na hora de colocá-lo à frente de qualquer decisão da vida.
Pensar que 2009 só depende de mim, como depende de você.
Pense em você!
Pense em 2009!

Glauco Viana

sábado, 13 de dezembro de 2008

1988

Já se vão quase 17 anos que não moro mais no Zoro. Mas ainda respiro como se estivesse lá, cada momento. Não sei como existem pessoas que não acreditam na nave espacial que desceu atrás da Serra Grande, em 1988. O Skinão estava bombando! O Clube du Zoro iria ser ameaçado nos próximos anos pela Golden Night (depois Over Night). Lembro-me da Neusa do Ico. A foto acima só confirma nossa ligação com seres extraterrenos. Eu sou de Shan. Você é de Shan. Nós somos de Shan. Tomávamos Avião (vodka com Martini), Menta com Pinga, Fogo Paulista (nem sei se ainda existe), Zulu com Tang. Existia o Elton da Dona Célia e do Palitó. Quem se lembra do Chaplin? Foi antes do Caninha! Porra, tô véio! Ainda bem, que eu sou de Shan! Minha alma rejuvenesceu quando vi aquela nave, oblonga, verde, luminosa, descer atrás da Serra Grande. Eu estava jogando bola atrás da Igreja, em 1988. 20 anos se passaram, mas minha mente insiste em fazer-me lembrar como se houvesse ocorrido ontem. Cerca de 4 anos depois desse encontro, eu pulei da ponte.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

sábado, 6 de dezembro de 2008

O QUE E SER RELIGIOSO?

Dando uma pesquisada na Internet fico feliz comigo mesmo. Fico feliz em não fazer parte de nenhuma religião. Fico feliz de não precisar de um sobre nome como evangélico, católico, espírita para ser uma pessoa boa.
Não condeno ninguém, e nem tenho este direito, mas é só sair na varanda da minha casa que fico mais feliz ainda.
Moro em frente de três igrejas e muitas vezes fico triste com a alegria de muitos “fieis”.
- Será que os católicos sabem que a igreja apostólica romana já matou milhares de pessoas?
- Será que os seguidos da Universal sabem que sua igreja é uma verdadeira empresa onde inclui redes de televisão, cervejaria, boates etc?
- Será que os espíritas não estão perdendo tempo em pensar da onde vem a alma mesmo sabendo se este negocio de alma existe mesmo?
Talvez eu prefiro viver numa ignorância proposital, acho que sofro menos.
- Alguém já voltou do céu ou do inferno para dizer se realmente existe?
Não é difícil seguir meu raciocínio.
Imagina que você vai dedicar sua vida toda para comprar uma casa. Guarda dinheiro, deixa de fazer viagens, fica em casa nos finais de semana...Tudo para esperar o dia em que comprará a tão sonhada casa. Acontece que passam mais de quarenta anos e no final da sua vida você percebe que esta casa não pode ser mais sua, como você ficaria? – Não ficaria totalmente desestimulado? Triste?
- É isto que acontece com as pessoas que dizem religiosas.
As igrejas inventaram um estilo de vida pós-morte que ninguém até hoje comprovou, e usa esta “não provada” filosofia para transformar fé em dinheiro. Esperança em vazio. Amor em ódio.
Não é exagero meu não. O que as igrejas estão fazendo hoje?
São poucos os evangélicos que falam bem de um espírita.
São poucos os seguidos do catolicismo se relacionando bem com evangélicos.
- Isto é religião? Então podem me internar, pois não entendo isto mesmo.
E o dizimo? – Tem absurdo maior?
Vou fazer outra comparação ridícula: um dia qualquer chega um homem qualquer na porta da minha casa e me pede dez por cento do meu salário todo mês. Eu concordo e todo mês entrego este dinheiro para o desconhecido. Não é estranho e inimaginável? – Mas é isto que todos fazem. Você que doa R$100,00, R$200,00, R$1000,00 para qualquer igreja sabe para onde vai seu dinheiro?
Porque não usar este dinheiro para suprir necessidades de um vizinho doente, de um empregado desabrigado, de um amigo falido...Onde está esta religião dentro de você que faz você comprar a melhor roupa para ouvir a palavra de Deus, mas no caminho `a igreja você não consegue perceber os problemas que realmente mereciam sua atenção?

- Realmente prefiro acabar de escrever este email, tomar banho, ir visitar um amigo doente, atender três crianças carentes depois do almoço (Sorriso Solidário), encontrar uns amigos, tomar umas brejas, tocar punheta (ou não) e dormir.

Esta é minha religião...E você? É religioso também?
Glauco Viana

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Aquele tempo...nosso tempo.

Eu sou do tempo em que brincar de pique-esconde era a sensação das férias, do tempo que o significado de beijo na boca chegava, no maximo, perto de um selinho quando acontecia salada-mista (e eu nunca era escolhido...), do tempo que em que sensação era jogar os chinelos nas arvores para pegar fruta - jambo, manga ou pitanga e depois, com os mesmos chinelos fazer a marcação das traves do gol na rua para jogar bola. Rua essa que era a unica atração principal, era o palco era o que nos prendia...ao invés de salas fechadas e computadores. Do tempo em que as festinhas de amigos eram as baladas perfeitas; sou do tempo de brincar brincar de policia-e-ladrão, puxar carrinho com barbante, quando muito brincar com Play Mobil de um amigo mais chique... Sou do tempo de andar descalço, ter pereba, tomar banho de chuva, ter muita responsabilidade para nao perder a contagem das estrelas do céu; do tempo que que o amor se traduzia em olhares ou gestos de amizade e ajuda. Sou do tempo em que usar roupa brega era o maximo, dançava macarena e achava que estava abafando, do tempo em que ao invés de amigos me chamarem por MSN ou mensagens de celular, ouviam-se somente os gritos estridentes da turma lá de baixo na rua lá pra cima na sua janela... Parecia que a TV no meu tempo era menos ou nada violenta. O tempo talvez fosse menos violento...ou nós que éramos mais felizes... Alias, a TV era nosso passaporte para a fantasia...carverna do dragão, muppet babies, Riquinho, Jaspion, Familia dinossauro, Os Trapalhoes...onde estao os Trapalhoes?? Onde está o Didi, o Dedé, o Mussa, o Zaca...onde está nosso humor hoje em dia? Quero meu tempo de volta... porque sou do tempo em que ir para escola (grupo escolar) era sinonimo de estudar e nao de matar ou se drogar... sou do tempo que esperava um brecha para passar debaixo da roleta do onibus mesmo a passagem custando 50 centavos...Sou do tempo do Atari, de acreditar em papai noel até uns 12 anos e nao ter vergonha de falar, sou do tempo em que não saía da rua ao invés de nao sair do computador...Sou do tempo em que toda festa de aniversario era um tema diferente e tudo colorido e tudo enfeitado e tudo era maior... Os sorrisos eram maiores, os laços eram maiores, as amizades eram eternas...Sou do tempo de viajar com meu avô...de abraçar meu avô...onde está meu avô? Sinto saudades sua...(suspiro e lágrima...). Sou do tempo de fazer arte e meu pai me corrigir colocando de castigo...de viajar com a familia quase todo fim de ano...Sou do tempo de ajudar minha tia a fazer doce de goiaba, pular na piscina "de ponta", andar sem camisa, respirar um ar mais calmo, sou do tempo que era certo...O mundo está ao contrario...e eu reparei. O tempo vai...as lembranças ficam. Por que as lembranças nao se vão, como o tempo? Seria como nascer todo dia e assim esquecer que existiu um tempo bom...e assim esquecer que um dia fomos mais felizes. Corro atrás da minha felicidade de volta. Tenho 30 anos.

Brunno Mabub

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Program do Leo....entrevista com Vera do Neto

Léo: Depois de uma ausência demorada tenho o enorme prazer de voltar com o meu, o seu, o nosso Programa do Léo. Estive ausente devido a minha participação na eleição dos EUA. - Fiquei chique pessoal!
Devido ao sucesso do meu medicamento “Supererecto”(remédio que prolonga a ereção sexual masculina para 48 horas) fui contratado pela equipe de Barack Obama para divulgar a invenção para seus leitores; assim tive que me distanciar por quase dois anos. Graças a Deus voltei para Conceição e estou muito feliz em estar com vocês aqui.

APLAUSOS de capivaras e salameiros

E já que o assunto é política recebo aqui Vera do Neto.

Vem para cá Vera...
(Aplausos... aplausos... muito aplausos de capivaras)

Léo: Que bom Vera voltar ao programa com sua participação.
Vera: Meu filho, a honra é toda minha. Conceição estava com saudades.
Léo: Por mais óbvio que possa apresentar não tem como começar nossa conversa sem falar em sua derrota. Como está o coração desta guerreira?
Vera: Não vejo como derrota. Prefiro falar em tristeza, mas derrota não. Feliz não fiquei, mas derrotada jamais.
Léo: Me desculpe, mas o povo quer saber...Então como está esta tristeza?
Vera: Era um jogo, e perdi. O corinthias perdeu muitos jogos para ter sua glória reconquistada. Hugo Chaves perdeu muitas guerras. Lula perdeu quatro eleições. Santos Dumont caiu várias vezes até decolar. Xuxa perdeu vários namorados até chegar no Pelé. Porque só eu tenho que vencer na primeira ou na segunda?
Léo: Isto quer dizer que você tentará novamente?
Vera: Não disse isto, mas ninguém sabe o amanha. Quem diria que você daria certo na vida, por exemplo? Ou você esqueceu das vezes que puxei sua orelha quando queria namorar a Lara?
Léo: Nossa Vera que memória?
Vera: Para você ver. Desenvolver memória é algo que a eleição me ensinou. São tantas traições que a memória não dorme nunca.
Léo: Isto é um desabafo?
Vera: Não, é constatação...Mas vamos falar de coisa boa.
Léo: Verdade...Concordo...Porque não falamos do seu novo projeto que está abalando Conceição dos Ouros. Vamos falar do “Conceição Terra”. Que história é esta?
Vera: Caro amigo salameiro....hehehheehhe. Brincadeirinha! Não queria te ofender hehehehhehe....Desculpe, às vezes me empolgo!
Então Conceição Terra é uma idéia que está a caminho da realização. Não é a construção de uma outra cidade, é a construção de um sonho.
Leo: Como assim? Fiquei sabendo mesmo deste papo de uma nova cidade. Dizem por ai que a Senhora, revoltada, quer construir outra cidade no terreno do Zaqueu.
Vera: Tudo especulação. Nunca gostaria de dividir minha cidade do coração. Agora, que o projeto será realizado no terreno do Seu Zaqueu, realmente é verdade.
Os filhos do Zaqueu estavam desesperados para vender suas heranças. Ai juntou a fome com a vontade de comer. Comprei a Chácara Josefina para construir meu centro espiritual “Conceição Terra”. Isto mesmo. Será um centro zen, onde se manifesta a paz e o amor.
Léo: O que a Senhora considera “um centro zen?”
Vera: A idéia do “Conceição Terra” na verdade foi do Maurílio. Devido sua larga experiência com movimentos espirituais e seu amor pela natureza, nada mais justo que escolhê-lo como parceiro nesta empreitada.
Léo: O que terá de novidade neste centro?
Vera: Serão seis alqueires de diversidades. Terá uma réplica da pirâmide de São Tome das Letras, onde seguidos de Trigueirinho desenvolverão encontros espirituais. Logo ao lado da pirâmide construiremos uma cachoeira de nudismo. Como ficaria inviável construir uma praia de nudismo, optamos por aproveitar a linda cachoeira do terreno.
Léo : Você está falando sério? Uma cachoeira de nudismo em Ouros não chocaria muito?
Vera: Segundo as últimas da cidade, acho que o povo já acostumou com coisas mais absurdas, se é que me entende.
Léo: Realmente amo esta cidade, mas o tempo aqui não passa.
Vera: Então, porque não chocar? Você ainda não ouviu nada.
Léo; Como assim? Tem mais?
Vera: Sim. Haverá um espaço para os fabricantes de polvilho e de placa de gesso. Estamos pensando num espaço chamado “Pó da Alegria”.Havera palestras, shows, encontros e de empresário e o grande campeonato da “bunda branca”.
Léo: Campeonato da bunda branca? Bebeu Vera?
Vera: Não, estou sanzinha. Será realizado uma vez por mês um campeonato de ski-bunda no gesso e polvilho. Construiremos uma duna de polvilho e gesso,( igual as dunas do Ceará) e quem chegar primeiro ao rio vence. Já temos ate patrocínio para este entreterimento.
Léo: Realmente espetacular. Desculpe se dou risadas durante a entrevista, mas isto só acontece nu Zoro mesmo.
Vera: Realmente. Quando se tem um sonho temos que lutar, mesmo para perder, o importante é lutar.
Léo: Concordo plenamente...Mas e a história de trazer a Alexandra do Acácio para trabalhar em seu projeto é verdadeira?
Vera: Alexandra na verdade seria minha candidata a vice-prefeita. Ela tem uns projetos muito interessantes, que agora trarei para Ouros. Um deles é a “Casa da Theca”. Acho que ela inclusive já esteve aqui no programa falando deste assunto.
Léo: sim...O ano passado entrevistei-a quando estava de passagem por aqui.
Vera: Então. A Casa da Theca será uma instituição para mulheres encalhadas. Haverá uma equipe bem preparada para aconselhar e tentar arrumar casamento para estas pobres mulheres. Dona Lucinda e Manzuca ficará com a parte espiritual. Tereza do Pedro cuidará do visual das participantes juntamente com a mulher do Boca. E a organização geral ficará com Alexandra, Ciomara, Katiany e Ana Paula do Tatao...Afinal de contas estas mulheres devem ter algo a apresentar, pois ninguém nunca imaginou que elas casariam.
Léo: Que curioso...e louco heheheheh
Vera: Pode rir, esta também é minha intenção. As crianças, por exemplo, divertirão muito no “Conceição Terra”. Haverá parques aquáticos, circo, jogos e principalmente o “cantinho da verdade”.
Léo: Cantinho da verdade?
Vera: Cansei de mentira nesta cidade. O Cantinho da verdade será um espaço para dizer a verdade para as crianças ourenses. Lá elas saberão que papai Noel não existe, que coelhinho não bota ovo, que elas não vieram da cegonha, que seus pais não são santos, que beijar na boca não engravida e que é muito feio ser salameira...heheheheheh...desculpa empolguei novamente.
Léo: Acho melhor se controlar Vera.
Vera: Desculpa....Sem insultos.
Léo : Prefiro assim. Este programa é apartidário.
Voltando ao assunto. Você não tem medo deste projeto seu ser entendido de forma errada?
Já estão dizendo que vagabundos da cidade se alojarão no seu centro.
Vera: Olha se isto for verdade a praça do Zoro esvaziará ( risos ).... Acho que não, minha intenção é trazer laser, cultura e paz para esta cidade, apenas isto.
Léo: Isto é discurso de político?
Vera: Não...De cidadã.

Léo: Acho que estamos na nossa hora. Infelizmente temos que nos despedir. Agradeço a participação de todos e, é lógico, de nossa entrevistada.

Semana que vem nos encontraremos com mais uma entrevista.

Poucos Aplausos....todos ficaram de boca aberta.


Glauco Viana