quarta-feira, 28 de abril de 2010

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Gente Boa ou Filho da Puta

Minha intuição é uma das poucas coisas que ainda me faz lúcido. Através dela e conversando com meus botões (da minha camiseta Hering) conclui que a merda da sociedade pós-moderna está na dúvida de homens e mulheres.
Tem muitos Filhos da Puta passando por Gente Boa, e muita Gente Boa perdida num emaranhado de Filhos da Puta.
Há uma multidão de políticos Filhos da Puta que são Gente Boa apenas na época de campanha.
Há trabalhador Gente Boa que chega em casa espanca a esposa, explora os filhos e depois vai tomar uma cervejinha com seus amigos também Gente Boa.

Os Filhos da Puta estão nos deixando loucos. Eles não se definem no campo da ética, civilidade e democracia.

Eles parecem não pertencerem a este mundo.
Jogam lixo na rua e depois reclamam da enchente.
Sonegam impostos e depois reclamam que os políticos são desonestos.
Vendem seus votos em troca de tijolos, caixas de cervejas, passagens aéreas e depois reclama que pobre sofre.
Não entendem nada de filosofia, psicologia e qualquer outro assunto que toque a emoção. Ou melhor, os Filhos da Puta agem na frieza que eles mesmos construíram, porem não sabem governar.

O pior é que eles usam máscaras e nos rodam assombrando nossa inteligência.
Eles se misturam entre o “povo Gente Boa” e conseguem atrapalhar a vida dos que sonham com a felicidade, a paz mundial e a saúde mental.

Dão cheque sem fundo na maior cara de pau.
Aproxima-se de amigos por interesse e, se não lucram nada, se afastam sem dizer adeus.
Finge dormir quando um velho entra no ônibus, apenas para não ceder o lugar.
Reclamam que medico, dentista, fisioterapeuta...cobra caro, mas não perde um final de semana em casa....E ainda julga quem não tem como se diverti.
Não respeitam horário de silencio em prédios e condomínios.
Não respeitam a vaga na garagem.
Roubam vaga de estacionamento e saem do carro de cabeça erguida.
São egoístas ao extremo e totalmente materialista....Vendem ate a mãe se aparecer oferta.

O pior é que eles estão entre nós. Estão em nossas festas, freqüentando os lugares de família, estão no futebol, na partida de pôquer, são até padrinhos de casamento várias vezes...Lógico que nunca gastam com presentes.
Eles não querem se organizar com medo de represaria, e também por incapacidade e falta de inteligência. Geralmente os Filhos da Puta não entendem nada de organização, a palavra de honra deles é esperteza. Foram eles que mudaram o significado desta palavra e deram a ela uma conotação levada para desonestidade e vagabundagem.
- Se você tem um amigo que vive dizendo que “o mundo é dos espertos”, tome cuidado! Ele já atingiu o segundo grau para ser um legitimo Filho da Puta, pois o primeiro grau é ter coragem de falar o mesmo.

Para o Gente Boa esperteza é ter vontade de viver, de fazer seu papel de cidadão, de filho, de amigo...O Gente Boa não conta vantagem, não mente, sabe a diferença entre ignorância e falta de cultura, respeita o desejo do próximo, não julga para não ser julgado, não quer mostrar nada, ele se contenta com sua própria existência.
O Gente Boa pode até ser tímido, mas quando ri, seu sorrido é verdadeiro.
O Gente Boa pode ate não gostar de trabalhar, mas não atrapalha a vida de ninguém. Geralmente os Gente Boa vagabundos viram jogadores de futebol ou cantores de pagodes, e não políticos ou empresários de porra nenhuma.
O Gente Boa é um ótimo amigo. Você pode ligar para ele de madrugada bêbado, que ele vai dar risada da sua beldisse.
Eles admiram a natureza e faz dela seu cenário, sua diversão e não seu negócio, como muitos Filhos da Puta.
O Gente Boa não tem medo da polícia, não tem medo de audiência, de fórum, de advogado, de bronca dos pais...O Gente Boa não tem medo de nada, ele está de cara limpa, pois sua vida é limpa.
Os Gente Boa já foram escravos, morreram em campos de concentração, foram queimados, julgados, mas nunca sujaram a historia da humanidade.
O Gente Boa defendeu teses, escreveu livros, visitou São Tome das Letras, andou de ski banana em Maranduba e nunca explorou ninguém.
O Gente Boa diz bom dia para o vizinho e não participa de fofocas.
O Gente Boa não deseja mal, ele contribui para o Bem.

O Gente Boa é bem diferente do Filho da Puta, mas infelizmente o Filho da Puta não está a fim de ser Gente Boa. O problema é exatamente este, pois o inverso ocorre diariamente. A tentação de se tornar um Filho da Puta está cada vez mais irresistível. O mundo está favorecendo isto. O mundo infelizmente está com cara de Puta Parideira, não pára de reproduzir.

Não caia em tentação!
Seja Gente Boa e dorme tranqüilo!

Glauco Viana

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Mineirinho

INDO PARA A PESCARIA...
Us dois minero si incontra nu pondi ônibus pruma pescaria.
- Intão cumpade, tá animado? pergunta o primero.
- Eu tô, home!
- Ô cumpade, pro mode quê cê tá levano esses dois embornal?
- É que tô levano uma pingazinha, cumpade.
- Pinga, cumpade? Nóis num tinha acertado qui num ia bebê mais?!
- Cumpade, é qui pode aparece uma cobra e pica a genti. Aí nóis disinfeta cum a pinga e toma uns goli qui é pra mode num sinti a dô.
- É... e na otra sacola, o que qui cê tá levano?
- É a cobra, cumpadi. Podi num tê lá...

terça-feira, 6 de abril de 2010

segunda-feira, 5 de abril de 2010

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Branquinha de Neve e os Sete Anoes vendedores de sapatos

Um dia, a rainha de um bairro distante do centro da pequena Conceição dos Ouros (la pelas bandas da Chapada) bordava perto da janela do castelo, uma grande janela com batentes de ébano, uma madeira escuríssima.
A certa altura, a rainha desviou o olhar para admirar os búfalos que brincavam pelo pasto; mas com isso se distraiu e furou o dedo com a agulha.
Encima do esterco dos búfalos pingaram três gotinhas de sangue. O contraste foi tão lindo que a rainha murmurou:
— Pudesse eu ter uma menina branquinha como a neve, corada como sangue e com os cabelos negros como o ébano…
Alguns meses depois, o desejo da rainha foi atendido.
Ela deu à luz uma menina de cabelos bem pretos, pele branca e face rosada. O nome dado à princesinha foi Branquinha de Neve.
Mas quando nasceu a menina, a rainha morreu. Passado um ano, o rei se casou com a Mauricea do Zaqueu (vulgo Loira da Chapada). Sua esposa era lindíssima, mas muito vaidosa, invejosa e cruel.
Um certo feiticeiro lhe dera um espelho mágico, ao qual todos os dias ela perguntava, com vaidade:
— Espelho, espelho meu, diga-me se há no mundo mulher mais bela do que eu.
E o espelho respondia:
— Em todo o mundo, minha querida rainha, não existe beleza maior.
O tempo passou. Branquinha de Neve cresceu, a cada ano mais linda…
E um dia o espelho deu outra resposta à rainha.
— A sua enteada, Branquinha de Neve, é agora a mais bela.
Invejosa e ciumenta, a rainha chamou um de seus capangas e lhe ordenou que levasse a enteada para a mata e lá a matasse. E que trouxesse o coração de Branquinha de Neve, como prova de que a missão fora cumprida.
O guarda obedeceu. Mas, quando chegou à mata da Bexiga, não teve coragem de enfiar a faca naquela doce menina. O guarda pediu para Branquinha de Neve fugir e matou um viadinho para substituir o coração da princesa. Branquinha de Neve correu desesperada pela mata bexiga ate nao aguentar mais e desfalecer.
Ao amanhecer Branquinha de Neve se viu perto de uma pequena casinha. Pequena mesmo, pois lá moravam sete pequenos homens. Os sete anos: Nino da Toninha, Claudemir, Tadeu do Assis, Luizinho, Isac do Agenor, Joao Bundinha e Carlinho Petrolio; segundo a populacao de Ouros havia se refugiado na mata da Bexiga depois de serem dispensados da forca armada devido a baixa estatura. Se uniram e como prova de capacidade montaram uma pequena fabrica artesanal de sapatos.
Assim que os sete anões avistaram Branquinha, levaram a bela princesa para sua humilde casinha.
- Nossa, mas não vou caber nesta casa? Disse Branquinha.
- Cala a boca sua mal agredida! Balbuciou Isac, o mais zangado da turma.
Com o tempo Branquinha teve que acostumar com os pequenos hábitos dos anões. A relacao entre eles deu tao certo que Branquinha resolveu empresariar o pequeno negocio dos sete anoes.
Toda manha Branquinha se ausentava da Mata da Bexiga para vender os sapatos fabricados artesanalmente pelos sete anoes. A empresa foi crescendo e recebeu ate um nome ‘SEVEN BOYS SAPATOS”.
Tudo andava tranquilo, menos a preocupação com a vingança da Loira da Chapada.
Mauricea tinha descoberto que seu capanga nao tinha acabado com a vida da donzela. Ela não aguentava mais seu espelho dizer que Branquinha era a mais bela moca do reino de Conceição dos Ouros.
Muito má a Loira da Chapada resolve se vingar e acabar ela mesmo com a vida de Branquinha.
Ate que num final de semana acontece uma festa de fantasia no clube de campo de Ouros. Mauricea do Zaqueu se fantasia de bruxa e coloca no copo de wisk de Branquinha um veneno.
Branquinha desmaia e os sete anões entram em desespero. A festa pára e todos tentam reanimar a bela vendedora de sapatos.
Mas algo estranho acontece. Sem mais sem menos Branquinha acorda totalmente eletrica. O veneno teve efeito contrario. Branquinha sobe no palco e se descabela de dançar.
A festa acaba e Branquinha é eleita a folia mais animada da festa a fantasia.
Com o passar dos tempos a Loira da Chapada se conforma em perder o trono de beleza para Branquinha e vira socia da ex enteada no comercio de sapatos.
SEVEM BOYS SAPATOS cresce, contratam vários funcionários e os sete anões voltam ao convivio da populacao do reino de Conceicao dos Ouros.
Branquinha e Mauricea do Zaqueu se torna empresarias famosas e os anões saem ate hoje por toda regiao vendendo os sapatos artesanalmente fabricados.

Glauco Viana