segunda-feira, 29 de março de 2010

Jesus nao morreu por mim!

Acabei de receber um email muito bem escrito e bem editado, mas de uma maldade histórica.

O email se titula a MORTE CIENTIFICA DE JESUS. O próprio titulo já choca.
- A morte de Jesus não tem nada de científico. Nunca ouvi falar em algum cientista sério que perderia tempo em pesquisar receitas de crueldade. Cientistas salvam vidas e não divulgam mortes.

O email começa dizendo que nem os piores criminosos morreram como Jesus. Que Jesus teve seis pregos de 15 a 20 cm com pontas de 6 cm gravadas em seus tendões, o que impossibilitava uma respiração normal. Diz também que Jesus ficou 3 horas sangrando até acabar todo sangue e água do seu corpo.

- Incrível como religiões se gabam do sofrimento dos “outros” para comoverem. A primeira vítima foi Jesus, e não pararam com esta maldade até os tempos de hoje.
Colocam Jesus como um criminoso e detalham passo a passo seu sofrimento para aumentar a compaixão. Quanto maior a compaixão, mais fácil a manipulação.


A receita da maldade não se finaliza aqui . Jesus ainda andou 2 km com uma cruz que pesava 30 kilos apenas na parte superior e no caminho as pessoas cuspiam e jogavam pedras nele. Um soldado colocou uma coroa de espinho na cabeça e gravou uma lança em seu tórax.
- Não duvido da verdade dos fatos, mas usar o sofrimento do filho de Deus para revolucionar espiritualmente inocentes, julgo que seja tão cruel como a trágica morte de Jesus.
Até hoje o Cristianismo vive deste sofrimento. Se não fosse esta triste história não haveria cristianismo. Seria difícil inventar uma história mais triste que esta para comover. A morte de Jesus é, foi e talvez será o maior negocio dos tempos. Infelizmente, muito infelizmente, pois algo que deveria ser usado como exemplo- não divulgado- da maldade humana, transformou-se em propagação de piedade para enriquecimento próprio ( próprios ).

O email termina dizendo que Jesus passou por tudo isto para que nós tenhamos acesso livre a Deus. Para que tenhamos todos nossos pecados lavados. Que Jesus morreu por nós.
Não satisfeitos o editor e escritor do email aconselha que enviemos o email para o máximo de pessoas possíveis.
O email termina assim: Vamos ver se Satanás pode deter isto.
- Não sei vocês, mas para que eu ficasse do lado de Deus e pagasse meus pecados, nunca concordaria que alguém morresse tão cruelmente por mim não. Muitos menos se esta pessoa fosse o Filho Eterno de Deus.
Se para receber a tão sonhada paz celestial necessite que eu divulgue o sofrimento de um homem caridoso e bondoso, prefiro comprar um terreno no céu, bem longe daqueles que usaram a crueldade em favor do interesse finaceiro.

Não sei vocês....Mas Jesus não morreu assim por mim não, morreu por causa da brutalidade e ignorância do ser humano...E ate hoje estão querendo pregar de 15 a 20 cm de burrice na sua vida, fazer você carregar 30 kilos de ignorância e obrigar a você andar 2 km com os olhos vendados direto para caixinha do dízimo.


Creio num Deus de bondade...

Glauco Viana

sábado, 27 de março de 2010

SALVEM O FILHO DO LEO DO CIMENTO

Em São Paulo no céu cinzento descobre o filho do cimento
Loucura no back encabulado vindo dos dentes encavalado
Cérebro destruído no bolso moído
Perdido num quarto escuro procurando o papel higiênico encima do muro.....

Frases balbuciadas pelo filho do Léo...numa breve final de semana em São Paulo....

Salve o Filho Do Léo!

sexta-feira, 26 de março de 2010

EITA NOIS!!!

Durante escavações no estado do Rio de Janeiro, arqueólogos fluminenses
descobriram, a 100 m de profundidade, vestígios de fios de cobre que
datavam do ano 1000 d.C.
Os cientistas cariocas concluíram que seus antepassados já dispunham de
uma rede telefônica naquela época.
Os paulistas, para não ficarem para trás, escavaram também seu subsolo,
encontrando restos de fibras óticas a 200 m de profundidade.
Após minuciosas análises, concluíram que elas tinham 2000 anos de idade.

Os cientistas paulistas concluíram, triunfantes, que seus
antepassados já dispunham de uma rede digital a base de fibra ótica quando
Jesus nasceu!

Uma semana depois, em Belo Horizonte, foi publicado por cientistas
mineiros o seguinte estudo:
"Após escavações arqueológicas no subsolo de Contági, Betim, Barbacen,
Passa-Quato, Pós di Carda, Jijifó, Sans Dumont, Pôso Alegre, Santantoin do Monte,
Varginha, Nanuque, Águas Formosas, Moncarmelo, Carnerim, Lagoa Dorada,
Sanjão Del Rei, Beraba, Berlândia, Belzonte, Bosta do Raguari, Divinópis,
Pará de Mins, Furmiga, Vernador Valadars, Tiófi Otoni,Piui, Carmo do
Cajuru, Lagoa Santa, Morro do Ferro, Biraci e diversas outras cidades
mineiras, até uma profundidade de 500 metros, não foi encontrado
absolutamente nada.
Concluindo então que os antigos mineiros já dispunham há 5000 anos de
uma rede de comunicações sem-fio: "wireless".

Nota dos arqueólogos: Por isso se pronuncia "UAI" reless.

kkkkkkkkkkkkkkkk. ......... . Esse trem de ser mineiro é bão dimais, sô!!!

quarta-feira, 24 de março de 2010

domingo, 7 de março de 2010

terça-feira, 2 de março de 2010