sexta-feira, 25 de junho de 2010

É tudo pão com mortadela!!!

Não temos dinheiro pra comer um pão com ovo,
Não temos dinheiro nem ao menos pra estudar,
Olho em volta e vejo a dor do nosso povo
Sempre ludibriado sem saber em quem votar.

Neste ano temos mais uma eleição
Sempre a mesma lorota a passar na televisão
Não estou aguentando mais tanta hipocrisia
Isso não é política nem tão pouco filosofia.

Tá na hora de perdermos a nossa calma
Pois do jeito que vai indo perderemos nossa alma!
Não se deixe enganar por uma simples dentadura
Pois vamos continuar nesta maldita ditadura,
Às vezes até disfaçada de democracia
Prometendo acabar com a nossa agonia.

Mas o que vemos é um povo sem saúde e educação
Votando sempre no anjinho e elegendo o ladrão.
A fome já tomou conta pela comida escassa
Quando a enchente chega é uma tremenda desgraça,
Mas a vida recomeça não podemos reclamar
Esperando o outro ano para podermos votar,
Num curral eleitoral permaneceremos fiéis
Movendo a roda da fortuna dos hediondos coronéis.

VOTE CONSCIENTE!

sábado, 19 de junho de 2010

SEM (CEM) DEUSES DE CONCRETO

Chega! O tempo acabou! Os relógios estão cansados de esperar!

Chega!

Chega de ilusão. A humanidade teve tempo demais para criar um Deus “que não colou”, “que não eh da hora”, “que não curte sexo, droga nem rock holl”...O Deus que a humanidade criou é do Mal.
Os Deuses, as centenas e os milhares de Deuses, criados pelo ser humano não praticou o Amor. Os nossos Deuses que pedimos proteção, ajuda, arrego, paz, saúde...São de Concretos.
A humanidade até hoje só criou Deus de Concreto.
A humanidade até hoje não respeitou nem mesmo Jesus Cristo. Quem mataram Jesus Cristo foram as religiões.
Jesus Cristo era sim a personalização de Deus (se é que isto seje possível). Jesus Cristo, Buda, Maomé, Khishina foram personalizações de Deus. Ali sim estava o Deus que queremos.
Mas o homem é egoísta demais para se sensibilizar com atitudes puras e nobres. O homem inventou a religião para ganhar “uns bons trocadinhos” as custas de exemplos de amor. A custa da verdadeira religiosidade, tão aplicada, mas tão mal aplicada, que perde seu significado.
Religiosidade é bem diferente de religião. Osho já dizia isto, e a humanidade toda lucidamente sabe disto. O pior é que sabemos disto, mas simplesmente não fazemos nada.
Fomos também comprados. Fomos também iludidos. Deixamos as religiões inventar uma tal de “alma” e fazer dela nosso guia espiritual.
Literalmente paramos de pensar. Paramos e inocentemente assistimos o desastre desta covardia.
Mataram um bom homem inocente da forma mais “animal”, e simplesmente fomos cúmplices da crucificação deste puro e sonhador homem.
Explodiram dois prédios comercias matando milhares de trabalhadores, e nós, só rezamos. Mais nada, não fizemos mais nada.
Humilharam vários seres da mesma espécie em troca de fidelidade, vomitando livros, livros e mais livros “ a goela a baixo” e não fizemos nada, não fizemos mais nada.



Acho que chega neh?

Acho que podemos fazer melhor.
Só depende de nós querer ou não tirar as vendas dos olhos.
Tudo bem que temos fortes muralhas a enfrentar. As religiões tornaram empresas lucrativas. A briga talvez fosse difícil, mas como nada na vida, impossível. Temos grandes aliados. Temos nossa consciência, nossa justiça, nossos desejos, nossa (até mesmo egoísta) maneira de pensar. Sabemos que Cem Deuses são nada Sem Deuses de Concretos.
Vamos ter sim Jesus Cristo no coração. Por que não?
Mas vamos também ter Buda, Osho, Krisnina....Vamos ter exemplos bons para nos tornarmos pessoas melhores.
A humildade, a sinceridade, a solidariedade deve sim ser uma religião.
A vontade de liberdade deve sim ser uma religião.
Chega de “falsas promessas”!
Sabemos que este Deus bravo, autoritário e detalhista não existe.
Deus é seu da mesma forma que suas roupas íntimas são tuas. Deus é sua pura intimidade, seus desejos e tua vida.
Deus não quer que seja igual a ninguém. Deus quer que seja feliz, apenas isto, mesmo que esteja vendendo CD pirata na 25 de Marco para sustentar três famílias. Você é responsável pelos seus atos. Ninguém vai estar de esperando quando morrer para apontar o dedo para você. Você mesmo fura o próprio “zoio” todos os dias.

O nosso verdadeiro Deus não é contra nada. O nosso Deus Interior não é contra sexo. As religiões foram as verdadeiros autoras da prostituição. O ser humano nunca deve ser obrigado a nada, pois a prisão de desejos produzem sortidos exageros como droga, vulgarizações sexuais, crimes e traições. Vários padres homossexuais e pedófilos comprovam isto.

Várias outras estratégias foram calculadas nos “mínimos detalhes” para nos prender. Inventaram o casamento, o batismo, a obrigação de ler um livro chato todos os dias, a circuncisão, a entrega da alma a santos e espíritos e a dedicação total a lideres corruptos que se esbaldam em seus castelos construídos pela lágrimas da inocência.

- Como diz um amigo: “Os pastores, os padres, os banqueiros e os traficantes só fazem a sociedade chorar de tristeza”

Chega!
Chega de Deuses de Concreto!

Somos responsáveis pelos nossos atos, somos livres (ou livre arbítrio, como quiserem).
Temos a ciência a nosso favor. Temos bibliotecas com idéias que realmente podem nos acrescentar algo de bom, de espiritual, de vida eterna e blá blá blá.
A vida eterna é agora! O futuro não existe!
Os Deuses de Concreto não sabem que a gente existe simplesmente por serem de Concreto. Nós somos de carne e osso. Nós sim pensamos, amamos, abraçamos, beijamos, cantamos....Nossa religiosidade deve ter seu significado emergencialmente resgatado.

Cem Deuses não são nada Sem Deuses de Concreto!!

Glauco Viana

terça-feira, 8 de junho de 2010

As mulheres e o Futebol

Nestes tempos de mais uma Copa do Mundo de Futebol é muito comum sermos bombardeados por comentários, diagnósticos, previsões, discussões, palavrões, esquemas táticos, convocações, etc...

Conversando com um amigo, elaboramos sobre um tema que sempre causa muita polêmica: as mulheres e o futebol. Não estou falando daquelas que realmente entendem, jogam, são tão fanáticas quanto nós. Mas daquelas que não conseguem compreender a óbvia regra do impedimento.

Adentrando na mente de uma dessas moçoilas, pudemos captar diversas imagens frente a certas notícias no cotidiano futebolístico:













domingo, 6 de junho de 2010